A+ / A-

Reuniões em série, skates e desentendimento com seguranças. A vida de Assange na embaixada do Equador

15 abr, 2019 - 12:08 • Redação

Imagens das câmaras de vigilância e relatos da equipa que vigiava Assange na embaixada do Equador revelam alguns episódios dos últimos sete anos da vida do fundador da WikiLeaks.
A+ / A-
As imagens da vida de Assange na embaixada do Equador
As imagens da vida de Assange na embaixada do Equador

Julian Assange a andar de skate na embaixada do Equador no Reino Unido. É a primeira de várias imagens divulgadas pelo jornal espanhol El País, que mostram alguns momentos mais conturbados da vida do fundador da Wikileaks nos últimos sete anos.

Desde junho de 2012 que Julian Assange estava exilado na embaixada do Equador no Reino Unido. Foi detido a 11 de abril pela polícia britânica, depois de as autoridades terem sido convidadas a entrar na embaixada.

Desde chegada do fundador da WikiLeaks à embaixada equatoriana que uma empresa se ocupava da sua vigilância. Foram instaladas câmaras em várias salas e faziam relatórios das visitas que recebia.

Durante os últimos sete anos, Assange fez da embaixada a sua casa e o seu quartel-general. Passou grande parte do tempo com os colaboradores, com quem fazia várias reuniões na embaixada, inclusivamente durante o fim de semana.

Mas o seu comportamento gerou queixas dos trabalhadores da embaixada. Sobretudo devido às várias entradas e saídas de estranhos e personalidades famosas (como Lady Gaga ou John Cusack) e a ocupação frequente da sala de reuniões.

Também a relação com os seguranças foi-se deteriorando ao longo dos anos e, em vários momentos, Assange enfrentou-os.

As imagens das câmaras de vigilância reveladas pelo El País mostram alguns desses momentos de confronto. Num dos episódios, Assange quer fazer uma reunião contra as ordens do segurança. O guarda pede aos convidados para saírem, mas eles recusam-se. O segurança avisa um dos polícias britânicos que se encontra no exterior. A porta é o limite entre os territórios equatoriano e britânico, onde Assange podia ser detido.

Assange pega numa câmara para gravar a cena e o guarda tenta tirá-la, ao mesmo tempo que os polícias britânicos se aproximam da ombreira da porta. Já de madrugada, chega o embaixador equatoriano, que consegue acalmar os anos e fazer sair os convidados de Assange.

Segundo os relatos da empresa de vigilância ao El País, a situação de Assange deteriorou-se a nível emocional e físico. Começou a arrastar os pés e a ter problemas de visão por estar fechado.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.