A+ / A-

Espanha. Criança que caiu no poço em Málaga teve morte quase imediata

15 abr, 2019 - 10:43

Resultados da autópsia estão a ser divulgados esta segunda-feira. Está afastada a hipótese de a criança ter morrido na sequência das operações de salvamento.
A+ / A-

Julen, o menino de dois anos que em janeiro caiu num poço, em Málaga, teve morte quase imediata. É a conclusão a que chegam os médicos forenses. Os resultados da autópsia estão a ser divulgados esta segunda-feira pela imprensa espanhola.

De acordo com o relatório médico, o tempo de sobrevivência após a queda "foi curto" e que a criança morreu "poucos minutos depois da queda". O menino sofreu um traumatismo cranioencefálico e raquimedular.

A autópsia concluí ainda que o menino não sofreu uma queda livre.

Está assim afastada a hipótese da criança ter morrido na sequência das operações de salvamento. A operação de resgate de Júlen foi “uma missão colossal” que envolveu a remoção de 85 mil toneladas de areia.

A criança de dois anos caiu, a 13 de janeiro, num furo de prospeção de água com mais de cem metros de profundidade. O acidente aconteceu na propriedade de um familiar de Julen, em Totalán, Málaga.

As operações de resgate duraram 13 dias, sendo que a criança já foi encontrada sem vida.

Este foi o segundo filho que os pais de Julen perderam. Em 2017, o casal viu morrer o filho Oliver devido a um problema cardíaco.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.