Tempo
|
A+ / A-

Violência na Nigéria continua a dividir cristãos e muçulmanos

03 abr, 2019 - 16:17 • Filipe d'Avillez

Os pastores fulani e os agricultores adana têm-se confrontado com cada vez mais frequência nos últimos anos. A religião não é a causa do conflito, mas agrava-o.

A+ / A-

A violência na Nigéria continua a provocar centenas de mortes entre cristãos e muçulmanos.

Os conflitos assumem contornos complexos de natureza inter-religiosa e interétnica e colocam frente a frente os fulani, que são na maioria muçulmanos e pastores e os adana, que são na maioria cristãos e agricultores.

As alterações climáticas e demográficas têm levado a um aumento de situações em que fulani e adana entram em conflito, com os primeiros a procurar zonas de pastoreio para o seu gado e a entrar em territórios tradicionalmente pertencentes aos adana. O fator religioso não parece ser o motivo principal da violência, mas sim uma agravante.

Num relatório enviado à fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), o padre William Kaura lamenta que uma sucessão de ataques nas últimas semanas “reduziram muitas aldeias a escombros e elevaram o nível da crise humanitária para uma extrema gravidade”.

O sacerdote, que trabalha na diocese de Kaduna, que é uma das que mais tem sido afetada pela violência, diz que a violência exercida pelos fulani é impressionante. “Nem os animais matam as pessoas assim”, escreve, sublinhando que o cuidado dos feridos e das vítimas está a ser assumido exclusivamente pelas comunidades cristãs, enquanto as autoridades nada fazem.

Embora a maior parte dos atos de violência tenham sido praticados por muçulmanos contra cristãos, também tem havido episódios de represálias. Num caso recente membros da comunidade adana mataram 130 fulanis.

A violência já levou à fuga de cerca de 10 mil pessoas das suas casas.

Segundo a AIS, no espaço de poucos dias dois padres foram raptados. Um, John Bako Shekwolo, está desaparecido, mas outro, Clement Ugwu, acabou por ser encontrado morto.

A Nigéria é o país mais populoso de África e em termos religiosos divide-se mais ou menos a meio entre o norte muçulmano e o sul cristão. Nas zonas onde existe mais mistura entre as duas comunidades a violência inter-religiosa é comum.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+