Tempo
|
A+ / A-

Papa rejeita pedido de resignação de cardeal francês acusado de encobrir abusos

19 mar, 2019 - 13:43

Cardeal Barbarin tinha pedido para abandonar o cargo de arcebispo de Lyon depois de ter sido condenado pela Justiça.

A+ / A-

O Papa Francisco rejeitou o pedido de resignação do cardeal Philippe Barbarin, de Lyon, França.

A notícia foi divulgada esta terça-feira, depois de Barbarin ter reunido com o Papa, em Roma.

A resignação de Barbarin foi anunciada no dia 7 de março, numa curta declaração à imprensa, horas depois de ter sido lida uma sentença que o condenava a seis meses, de pena suspensa, por não ter denunciado às autoridades um caso suspeito de abusos sexuais.

Numa nota publicada no site da arquidiocese de Lyon, o cardeal diz que se encontrou com o Papa na segunda-feira, deixando nas suas mãos a sua missão.

“Invocando a presunção de inocência, ele não aceitou a minha demissão”, escreve o cardeal. Os advogados do cardeal já disseram que vão recorrer da condenação, que foi bastante surpreendente, tendo em conta que nas alegações finais do julgamento a procuradoria tinha pedido a sua absolvição.

Barbarin diz ainda que o Papa deixou ao seu critério a melhor forma de agir agora, pelo que se vai afastar durante algum tempo da gestão diária da diocese, que deixa nas mãos do vigário-geral, o padre Yves Baumgarten.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+