A+ / A-

Ex-jogador do Rio Ave diz que empresário ligado ao Benfica tentou aliciá-lo

14 mar, 2019 - 17:30 • Redação

Lionn alega que César Boaventura o tentou comprar antes de um jogo frente ao Benfica. De acordo com o "Expresso", o jogador disse em tribunal que a proposta também envolvia os seus companheiros de equipa no Rio Ave Cássio e Marcelo.
A+ / A-

O jogador do Rio Ave Lionn declarou, esta quinta-feira, no Tribunal de Esposende, que o empresário César Boaventura, que tem ligações ao Benfica, tentou aliciá-lo, em vésperas de um jogo entre vilacondenses e lisboetas, em 2015/16, segundo avança o jornal "Expresso", no seu site.

O brasileiro, que atualmente representa o Desportivo de Chaves, revelou que a proposta envolvia, também, os seus companheiros de equipa do Rio Ave, o guarda-redes Cássio e o defesa Marcelo. O Benfica ganhou esse jogo por 1-0, sendo que Lionn não jogou, devido a lesão.

"César Boaventura tentou comprar-me antes do jogo contra o Benfica. A mim, ao Cássio e ao Marcelo", alegou Lionn, sob juramento, no âmbito de uma queixa que Cássio interpôs contra Boaventura depois de este ter, alegadamente, sugerido que o então guarda-redes do Rio Ave facilitara num jogo frente ao FC Porto, que terminou com 5-0 para os dragões.

Confrontado pelo "Expresso" sobre as acusações de Lionn, César Boaventura desmentiu-as e anunciou que vai mover um processo contra o jogador. "Isto é totalmente falso. Ele vai ter de provar em tribunal o que disse", afirmou Boaventura, que salientou que esta situação não passa de um esquema "montado por alguns jogadores com algumas pessoas do FC Porto e com o Bruno Carvalho [ex-presidente do Sporting]".

"Esses jogadores acabaram por ser contratados por clubes com ligações a FC Porto e Sporting", assinalou o empresário, ainda ao "Expresso".

A Polícia Judiciária investiga o alegado envolvimento de jogadores do Rio Ave num esquema de apostas. Lionn é testemunha nesse processo, que envolve dois jogos do Rio Ave: um frente ao Feirense e outro diante do Benfica. De acordo com a SIC, quatro jogadores do clube de Vila do Conde foram constituídos arguidos no âmbito desse processo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Juíz Vermelho
    15 mar, 2019 Catedral da Luz 15:01
    Curioso este tal de Lionn, vir com esta conversa quase ao mesmo tempo que se ficou a saber que o recurso do pirata Rui Pinto foi indeferido e a viagem para Portugal, está marcada. A quem interessará desviar atenções deste caso? Provavelmente aos que pagaram ao Ruizinho para fazer o que fêz e agora, com mêdo que ele comece a "cantar", tentam desviar atenções com ninharias e boatos - provas não há, só temos a palavra desse tal Lionn que isso aconteceu, e que se saiba, o visado até já o processou por isso.