A+ / A-
Quaresma

“Façamos da Quaresma tempo de diferença, e não de indiferença”, pede Bispo de Lamego

06 mar, 2019 - 13:00 • Filipe d'Avillez

D. António Couto destina a renúncia quaresmal deste ano a duas comunidades africanas, uma em Cabo Verde e outra em Moçambique.
A+ / A-

Encontre aqui a mensagem do seu bispo para a Quaresma


O bispo de Lamego divulgou a sua mensagem para a Quaresma de 2019, que começa esta Quarta-feira de Cinzas.

No texto, publicado no site da diocese, D. António Couto convida à generosidade neste tempo de sacrifícios.

“Aí está então o tempo favorável da Quaresma, que nos convida também a fazer um exercício de generosidade, com a máxima amplitude, de tal modo que também a bela e generosa criação que nos cerca se sinta amada, resgatada e livre. Para tanto, é necessário percebermos que em há em nós (muito mais do que nos nossos campos, montes, vales e colinas), muito mato, silvas, pesticidas e lixeiras a céu aberto, raivas, ódios, invejas, violências, mentiras e ciúmes. É urgente, e este é o tempo para isso propício, de levarmos a cabo uma verdadeira operação de limpeza nas avenidas que saem do nosso coração.”

O bispo pede que este seja um tempo de diferença e não de indiferença. “Avivemos as brasas do nosso coração e dilatemos as suas cordas até às periferias do mundo, e que o nosso olhar seja de Graça para os nossos irmãos de perto e de longe, e para toda a criação de Deus. Façamos um exercício de verdade, varrendo da nossa casa, do nosso rosto, das nossas mãos, do nosso coração, o lixo que nos desfigura, e preparemo-nos e embelezemo-nos para sabermos receber, com renovada alegria, a visita do nosso Deus.”

Este ano, segundo D. António Couto, a renúncia quaresmal será destinada a duas paróquias africanas “a quem falta quase tudo, e que solicitaram o nosso apoio: a paróquia-missão de Santa Maria, na ilha do Sal, em Cabo Verde, em que trabalham as Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus, e a paróquia-missão de Maria Auxiliadora, de Pemba, em Moçambique, em que trabalham os Missionários da Boa Nova.”

“Estas duas comunidades, o bálsamo da nossa Caridade pode acudir um pouco às crianças abandonadas, à saúde materno-infantil, centros de formação, escolinhas, medicamentos para a lepra, HIV, etc., tantas e tais são as necessidades”, diz.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.