A+ / A-

É portuguesa a cabeleireira “special one” que penteia Claudia Schiffer

04 mar, 2019 - 10:06 • Liliana Carona

Estrelas da moda, cantores, futebolistas, quase todos os grandes artistas internacionais já passaram pela tesoura de Joana Neves.
A+ / A-

É de Oliveira do Hospital e começou por varrer cabelos num salão em Londres. Hoje, penteia Naomi Campbell, Claudia Shiffer, Cindy Crawford, Adriana Lima, Sara Sampaio, Lady Gaga, Monica Belucci, David Beckham e Bryan Adams, entre outros famosos.

Aos 28 anos, Joana Neves percorre os quatro cantos do mundo em shows de moda, onde dá nas vistas pelo talento que herdou da mãe. Nas férias, regressa à terra natal e às origens e ajuda a mãe no salão.

“Vim cá porque estava a Joana. Quando sei que ela vem, tento sempre marcar. Isto é uma doçura e suavidade”, diz Maria Coutinho, 43 anos, uma das clientes que faz questão de aproveitar as férias da Joana para fazer madeixas.

Joana Neves quer atender toda a gente: “Fico aqui às até às tantas, é a única forma”, admite à Renascença.

Maria Coutinho é uma cliente de Oliveira do Hospital que espera sempre pelas férias de Joana para se sentir uma estrela da moda. “Pareço outra, até tenho pena de ir para casa, apetecia-me ir para uma festa. Hoje não combinei nada, devia ter combinado”, graceja.

Do sonho à realidade

Em Oliveira do Hospital, fazem fila para cortar cabelo com a menina que ganhou fama no panorama internacional da moda. Joana corta o cabelo a pessoas que só tinha visto na televisão.

“Naomi Campbell, Claudia Shiffer… a minha infância foi vê-las nas revistas e foi um sonho vê-las: Cindy Crawford, Adriana Lima, Sara Sampaio, Lady Gaga, Monica Belucci, David Beckham, Bryan Adams”, enumera.

Tem a mãe cabeleireira, mas em adolescente nunca imaginava que lhe ia seguir os passos. “Eu detestava que ela tivesse que trabalhar ao sábado. Posso ser tudo menos cabeleireira”, afirmava na altura.

Hoje, Joana já dá formação à mãe, Conceição, 57 anos, que se desfaz em elogios à filha. “Para mim, é um grande orgulho, ela faz melhor que eu. Ela é que agora dá formação à mãe. Esta profissão carece de amor e ela é perfeita”, afirma.

Joana Neves chegou mesmo a entrar para a universidade, no curso de Comunicação e Relações Públicas, mas depois de começar a participar em shows e competições de cabelos, onde alcançou diversos prémios, soube que tinha que mudar de rumo.

Foi para Espanha estudar, até que, em 2011, partiu para Inglaterra. O resto da história conta Joana: “Quando entreguei o portefólio, na Windle & Moodie, o salão que era propriedade de grandes estilistas de moda britânica, tudo mudou. Viram as três competições nacionais, em duas das quais ganhei a medalha de ouro em Portugal, e um dia recebi um e-mail de uma agência com todo o planeamento de um show da Burberry e aí começou tudo”.

Joana compara a sua evolução na carreira à dos futebolistas: “há ‘olheiros’ sempre prontos a levar-nos para outra equipa”.

Por isso, rapidamente passou de varrer cabelos para se tornar exclusiva de quem organiza mais shows de moda no mundo. “Neste momento, sou exclusiva da equipa de Guido Palau, não estou autorizada a trabalhar para outras companhias na semana da moda. Mas tenho muita sorte porque o meu patrão é aquele que possui mais shows de todas as modas do mundo, desde Nova Iorque, ao Japão e Hong Kong”, garante a jovem cabeleireira.

Para o leitor ou ouvinte da Renascença, fica a dica da “special one” das cabeleireiras sobre as tendências para este ano: “Agora usam-se as franjas muito curtinhas, tanto em cabelo comprido como em cabelo curto, e cabelos bem volumosos inspirados nos anos 60 bem ondulados”, desvenda a sorrir – algo, aliás, que Joana nunca deixa de fazer, bem e soltar gargalhadas ruidosas. “Sou muito feliz”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.