A+ / A-

Presidente ofereceu “chibinha” a um pastor. Agora, é homenageado com o “Marcelo”

18 fev, 2019 - 23:15 • Liliana Carona

Um pastor, que tinha perdido o gado todo nos incêndios de outubro de 2017, recebeu uma cabra oferecida por Marcelo Rebelo de Sousa, por ocasião da Feira do Queijo, em Oliveira do Hospital. Um ano depois, o pastor homenageia o Presidente dando o nome de Marcelo ao chibito, filho da Vitória, cabra oferecida pelo Presidente da República. A história marca o renascer de um novo ciclo para quem perdeu tudo.
A+ / A-
Reportagem de Liliana Carona - Pastor homenageia Presidente Marcelo
Reportagem de Liliana Carona - Pastor homenageia Presidente Marcelo
Oiça a reportagem da jornalista Liliana Carona

Na Quinta do Carvão, os vestígios dos incêndios de outubro de 2017 ainda saltam à vista: árvores negras, alfaias e tratores queimados, deixados exatamente nos mesmos locais, onde perderam o brilho, como que servindo de prova para o que aconteceu a António Rodrigues. O pastor e agricultor, de 61 anos, recebeu dois mil euros de apoio do Estado para refazer a vida. Sente que é pouco e, por isso, diz não esquecer quem lhe estendeu a mão.

"Marcelo" é o nome e símbolo de uma homenagem que António Rodrigues quer fazer ao recordar a história vivida há um ano, quando conheceu o Presidente da República.

“A ‘Vitória’ foi uma chibinha que me ofereceu o Presidente da República no dia da Feira do Queijo, em Oliveira do Hospital, e agora ela teve um parto, tem um bebezinho”, mostra no pasto, a nova cria. “Já salta o ‘Marcelo’, é muito esperto”, acrescenta.

O "bebezinho", como António também chama carinhosamente ao chibito, tem um nome especial que tem gerado discórdia entre o pastor e a sua filha, Ana Silva, 38 anos, que teme melindrar o Presidente da República. “Pensei em dar-lhe o nome de Marcelo, mas a minha filha opõe-se”, afirma o pastor, interrompido por Ana: “o senhor Marcelo, se calhar, fica um bocado chateado porque pusemos o nome do padrinho, ao chibito”, assume.

Mas o pastor está decidido a agradecer a Marcelo Rebelo de Sousa por lhe ter oferecido a primeira cabeça de gado, quando perdeu tudo nos incêndios de outubro de 2017.

“Perdi o gado todo, as árvores todas, fiquei sem nada, recebi um subsídio de dois mil euros, foram as alfaias, os reboques, ardeu tudo, ao princípio chegava aqui, dava uma volta, e não me sentia aqui bem, e assim olhe não é qualquer pessoa que tem o ‘Marcelo’, é muito lindo”, diz o pastor.

A cabrinha nasceu no dia 12 de fevereiro em Avô, uma freguesia de Oliveira do Hospital. O pastor está feliz, mais feliz só se o Presidente da República o visitasse. “Eu gostava que ele cá viesse conhecer o ‘Marcelo’, quem sabe se não aparece por aí”, sonha António.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.