A+ / A-

Escola de programação oferece bolsas de estudo a mulheres na área da tecnologia

18 fev, 2019 - 16:18 • Inês Rocha

Ironhack está a oferecer três bolsas no valor de seis mil euros a mulheres que queiram aprender linguagens de programação para web.

A+ / A-

A Ironhack, uma escola de programação que abriu em Lisboa no último mês, está a oferecer bolsas a mulheres na área da tecnologia.

As bolsas, no valor de seis mil euros, serão atribuídas durante o "WE/CODE Women Edition", uma “mega formação intensiva” de código, que decorre este sábado, na Universidade Católica. A formação de um dia, organizada em parceria com a Startup Lisboa, é aberta a 100 mulheres que trabalhem ou queiram vir a trabalhar na área da tecnologia.

O evento inclui workshops para iniciantes em três linguagens de programação - HTML, CSS e JavaScript. No final, as três melhores formandas terão direito a uma bolsa para tirarem um curso de nove semanas na escola de tecnologia, na área do Web Development (desenvolvimento de sites).

O evento conta com o apoio da comunidade “Portuguese Women in Tech” (Mulheres Portuguesas na Tecnologia) e tem o objetivo de inspirar mulheres a seguirem carreiras na área da tecnologia.

Para participar, é necessário comprar um bilhete, que tem um custo de sete euros. Não é necessário ter experiência ou formação na área.

A escola garante que o curso tem uma elevada taxa de empregabilidade. No final das nove semanas, o estabelecimento de ensino organiza uma semana de recrutamento, onde habitualmente estão presentes grandes empresas tecnológicas. Segundo a Ironhack, cerca 90% dos alunos são contratados, durante esta semana, por grandes empresas, como a Google, Mercedes, Visa ou Cabify.

Com presença em nove cidades mundiais (Cidade do México, Barcelona, Berlim, Madrid, Paris, Amesterdão, São Paulo, Miami e Bogotá), a Ironhack abriu portas em Portugal no início de 2019, nas Galerias de São Bento em Lisboa.

“Chegámos a Portugal para apoiar o talento nesta área, tornarmo-nos na escola “tech” de referência do país e sermos reconhecidos como uma fonte segura de criação de talento em Programação, UX Design e Análise de Dados”, refere Álvaro González, General Manager da IRONHACK Lisboa.

“Esta é a comunidade de programação que mais tem crescido na Europa e onde não há praticamente desemprego. A nossa meta para 2019 é termos 130 pessoas formadas no nosso campus de Lisboa, nas 10 diferentes disciplinas (cinco de Programação, três de UX Design e duas de Análise de Dados.) Temos como objetivo alcançar os 100% de empregabilidade na área em Portugal.”

Segundo a plataforma de recrutamento Landing Jobs, o salário de um programador júnior em Portugal varia entre 23 a 25 mil euros por ano, o equivalente a três vezes o salário mínimo nacional.

A Ironhack pretende, a curto prazo, dinamizar workshops gratuitos no Porto, Coimbra e Setúbal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.