|
A+ / A-

Reforço da Transtejo só em 2021

15 fev, 2019 - 06:00 • Eunice Lourenço

É lançado esta sexta-feira concurso para dez novos navios mais rápidos e mais limpos.Ministro culpa anterior Governo pelo atraso.

A+ / A-

A Transtejo vai ter dez novos catamarãs, mas o primeiro só chega no fim de 2020 ou mesmo em 2021, o ano em que se prevê a chegada de mais três navios. Os restantes devem vir ao ritmo de dois por ano até 2024.

São estes os números e os prazos do concurso para a renovação da frota da Transtejo, um concurso lançado esta sexta-feira de manhã com a presença do primeiro-ministro.

“São dez navios iguais que andarão ao dobro da velocidade que andam ao dobro da velocidade a que andam hoje os cacilheiros, têm a mesma dimensão, num investimento que tem duas parcelas. Ao todo são 90 milhões de euros, dos quais 57 milhões são para a aquisição dos navios e 33 para assegurar a sua manutenção até 2035”, anuncia o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

Questionado se 2021 não é demasiado tarde para as urgências que utilizadores e autarcas têm pedido, João Pedro Matos Fernandes coloca as culpas no anterior Governo.

“Só podemos lançar o concurso agora porque o quadro comunitário e apoio que herdamos do anterior governo não permitia este tipo de investimento. O quadro foi reprogramado em dezembro último e, por isso, em tempo record lançamos este concurso”, justifica o ministro, acrescentando que os navios ainda têm de ser projetados e construídos. De momento não existem navios disponíveis no mercado, nem sequer para alugar. O ministro, aliás, diz que a Soflusa chegou a ser contatada por empresas de outros países para saberem se tinha navios para alugar e deu sempre resposta negativa.

A compra dos dez navios foi aprovada no conselho de ministros de 10 de janeiro e as ligações abrangidas pelo plano de renovação serão Cacilhas, Seixal e Montijo.

Em termos ambientais, João Pedro Matos Fernandes diz que os novos equipamentos vão permitir à Transtejo reduzir para cerca de metade as emissões de dióxido de carbono na sua operação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • antónio rodrigues ma
    14 fev, 2019 ponta delgada 22:57
    Os sucessivo governos deveriam ter apenas seis meses para arremessar culpas aos governos anteriores, e pronto. Passam toda a legislatura toda a desculparem-se com os antecessores. Irritante.