A+ / A-

Ex-diretor de campanha de Trump mentiu aos procuradores

14 fev, 2019 - 02:55 • Redação

Paul Manafort, que está detido desde junho do ano passado, arrisca agora ser condenado a uma pena mais pesada ou ver acusações serem reabertas.
A+ / A-

Paul Manafort, antigo diretor de campanha de Donald Trump, mentiu aos procuradores e quebrou o acordo com o conselheiro especial, Robert Mueller, que está a investigar a interferência russa nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016, concluiu esta quarta-feira uma juíza federal.

A magistrada Amy Berman Jackson encontrou uma “preponderância” de provas de que Manafort mentiu sobre três matérias distintas ao FBI, à equipa de Mueller e a um grande júri.

O antigo homem de confiança de Trump faltou à verdade, nomeadamente, sobre contactos com o seu antigo parceiro de negócios Konstantin Kilimnik que, de acordo com os procuradores, tem ligações aos serviços secretos russos.

Manafort também mentiu sobre a sua interação com Kilimnik, relativamente à partilha de sondagens sobre a campanha de Trump e as suas conversas sobre um “plano de paz para a Ucrânia”, com o objetivo de levantar as sanções dos Estados Unidos contra a Rússia.

A juíza ilibou Manafort das alegações de que mentiu noutras duas situações: o papel de Kilimnik numa acusação de obstrução à justiça e nas declarações do ex-diretor de campanha sobre os seus contactos com membros da Administração Trump.

Paul Manafort, que está detido desde junho do ano passado, na Virgínia, arrisca agora ser condenado a uma pena mais pesada ou ver acusações reabertas.

Em agosto, o antigo diretor de campanha de Trump foi considerado culpado de oito crimes de fraude, fraude bancária e por esconder contas bancárias.

No mês seguinte, chegou a um acordo com a equipa de Mueller e evitou um segundo julgamento por lavagem de dinheiro. Aceitou colaborar com a justiça e declarou-se culpado de um crime de conspiração contra os Estados Unidos e outro de conspiração para obstruir a justiça.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.