A+ / A-

Grupo Lusíadas Saúde vai cessar acordo com a ADSE

13 fev, 2019 - 18:30 • Redação

Em causa está a redução do preço dos atos médicos e a existência de uma tabela de preços que o grupo privado considera “desajustada da realidade atual”.
A+ / A-

O Grupo Lusíadas Saúde anunciou esta quarta-feira que vai cessar acordo com a ADSE, o subsistema de saúde do Estado.

O conselho de administração do grupo privado diz, em comunicado, que “está a analisar opções para a cessação das atuais convenções existentes com a ADSE”.

A decisão é justificada “por considerar que o imperativo de garantia de qualidade e segurança clínica dos seus clientes (beneficiários desse subsistema público) poderá vir a ser sistemicamente afetado com as regras e procedimentos atualmente vigentes”.

O Lusíadas Saúde contesta a redução, por parte da ADSE, dos preços dos atos médicos a posteriori, “mais de dois anos depois nos casos atuais em discussão”, sem ter “em linha de conta o tratamento e atos prestados a cada cliente, de acordo com as suas necessidades específicas”.

Em causa está também a existência de uma tabela de preços que o grupo privado considera “desajustada da realidade atual”.

“Tratam-se de valores incompatíveis com os padrões de segurança e qualidade com que alinhamos a nossa prestação de serviços e com o nível de experiência que fazemos questão de garantir a todos os Clientes que nos procuram, incluindo os beneficiários da ADSE”, sublinha o comunicado.

Grupo Lusíadas Saúde adianta que vai continuar a assegurar o acompanhamento e tratamento aos clientes da ADSE que se encontrem a ser assistidos nas unidades do grupo.

Também vai ser criada uma “tabela própria para que os mesmos beneficiários possam aceder às nossas unidades, podendo posteriormente pedir o reembolso à ADSE em regime livre”, esclarece o comunicado.

O Grupo Lusíadas Saúde sublinha que “continua a manter-se, no entanto, totalmente disponível para a construção de soluções de parceria que garantam um compromisso justo, equilibrado, seguro, previsível e sustentável para todos os intervenientes, passível de garantir, acima de tudo, a qualidade dos atos e a segurança clínica para os Clientes das suas unidades de saúde”.

"Oportunamente, e após a necessária análise do conteúdo contratual das convenções em vigor, comunicaremos às partes os procedimentos operacionais relevantes, em especial quanto aos prazos da cessação das convenções e consequente cessação da marcação de atos em regime convencionado", conclui o comunicado.

O anúncio do Grupo Lusíadas Saúde é conhecido depois de o Grupo Luz Saúde e a rede CUF terem anunciado a suspensão do acordo com a ADSE.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Beneficiário
    15 fev, 2019 ADSE 14:26
    Também vai ser criada uma “tabela própria para que os mesmos beneficiários possam aceder às nossas unidades, podendo posteriormente pedir o reembolso à ADSE em regime livre”, - Ah, Ah, Ah! Passar de 3,99€ a consulta, para 35 a 98€ e ficar à espera 2 meses ou mais por um reembolso de 20,45€ da ADSE... E acham que o pessoal continuaria a lá ir, quando têm Hospitais da Cruz Vermelha, Misericórdias, Grupo champalimaud, e outros que se estão a chegar à frente, prontos para os substituir. Mas estes tipos (CUF, Lusíadas, Luz) existem?
  • Cidadao
    13 fev, 2019 Lisboa 19:43
    O que acho curioso é que todos, mas todos os que dizem ir bater com a porta e deixar a ADSE, vêm imediatamente acrescentar que estão a preparar "tabelas a preços especiais" para os beneficiários da ADSE que queiram continuar a ir lá ... "Querem" largar a ADSE mas continuar a mamar dos beneficiários ... Já devem ter feito contas e visto que só a ADSE paga 22% das despesas deles e perder isso ...
  • Beneficiário
    13 fev, 2019 ADSE 19:39
    Mais um a quem vou por uma cruz e deixar de lá ir. Enquanto houverem os Hospitais da Cruz Vermelha e das Misericórdias que já se dispuseram ambos a reforçar a oferta aos beneficiários da ADSE e bastando uma alteração Legislativa para por o Hospital Militar a fazer serviço também a civis ... CUF, LUZ e Lusíadas vão pela Sombra. Arranquem e não façam pó. Pessoal da ADSE, sugiro que cancelem tudo o que tiver a ver com estes chantagistas. Ministra Temido, negociar imediatamente com OUTROS PRESTADORES para substituir os que saem.