A+ / A-

Kim Phuc, a “Rapariga de Napalm”, recebe prémio por trabalho pela paz

12 fev, 2019 - 08:09 • Redação com agências

Agora com 55 anos e a viver no Canadá foi distinguida pelo seu trabalho na UNESCO. Ficou imortalizada numa fotografia de 1972 tirada após um bombardeamento no Vietname.
A+ / A-

Kim Phuc, que ficou conhecida como a “Rapariga de Napalm” numa icónica fotografia de 1972 tirada depois de um bombardeamento no Vietname, foi distinguida na segunda-feira, na Alemanha, com o Prémio Dresden pelo seu trabalho pela paz.

Kim, atualmente com 55 anos e a viver no Canadá, foi reconhecida pela sua colaboração com a UNESCO (a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), onde é embaixadora da Boa Vontade, pelo trabalho de apoio a crianças feridas em contexto de guerra, e por lutar contra a violência e o ódio. Vai receber dez mil euros.

No passado, este prémio já foi atribuído a figuras como o ex-líder soviético Mikhail Gorbachev e o ativista de direitos humanos Tommie Smith.

Kim Phuc tinha nove anos quando a sua aldeia foi atingida por napalm (bombas incendiárias), lançadas por aviões do Vietname do Sul, que visavam atingir as tropas inimigas do Vietname do Norte.

A imagem de Kim, em criança, a fugir da aldeia, correndo pela estrada sem roupas, a chorar e com queimaduras no corpo, foi capturada pelo famoso fotógrafo Nick Ut, da Associated Press.

A fotografia valeu ao seu autor um Prémio Pulitzer em 1973.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.