A+ / A-

Comissão eleitoral da Tailândia rejeita irmã do Rei

11 fev, 2019 - 11:45

A princesa Ubolratana Rajakanya Sirivadhana Barnavadi queria candidatar-se pelo partido de Thaksin Shinawatra, mas, como membro da realeza, tem de estar acima da política.

A+ / A-

Veja também:


A comissão eleitoral da Tailândia rejeitou, esta segunda-feira de manhã, a candidatura da princesa Ubolratana Rajakanya Sirivadhana Barnavadi, irmã do Rei Maha Vajiralongkorn.

A candidatura, anunciada na sexta-feira, apanhou a sociedade tailandesa de surpresa e, caso avançasse, ameaçava lançar o caos na cena política do país. A Tailândia tem leis muito rigorosas para proteger a família real, que proíbem qualquer tipo de crítica a um membro da realeza, o que na prática colocaria Ubolratana numa posição quase inatacável durante a corrida eleitoral.

Para tornar a situação ainda mais complexa, Ubolratana aceitou candidatar-se pelo partido Thai Raksa Thai, de Thaksin Shinawatra, que é considerado um inimigo do regime monárquico e dos seus apoiantes, incluindo as forças armadas da Tailândia, que o destituíram num golpe quando era primeiro-ministro.

Na sexta-feira, mal foi conhecida a vontade da princesa de se candidatar, o seu irmão, o Rei Maha Vajiralongkorn disse publicamente que se tratava de uma decisão “imprudente”.

Esta segunda-feira a comissão eleitoral confirmou a opinião do Rei, dizendo que não só ele, mas toda a família real, tem obrigação de se manter acima da política partidária, pelo que não permitiria a candidatura da princesa.

Ubolratana é a irmã mais velha do Rei Maha Vajiralongkorn e tem tido uma vida conturbada. Foi estudar para os Estados Unidos e teve de renunciar aos seus privilégios reais quando casou com um americano, com quem teve filhos. Anos mais tarde divorciou-se e regressou à Tailândia onde, não obstante a renúncia, continua a ser tratada com vários dos privilégios e honrarias reservadas aos membros da realeza.

Na Tailândia chegou a desempenhar um papel numa telenovela e num filme, sendo por isso muito conhecida do grande público.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.