A+ / A-

Santuário de Fátima celebra Dia Mundial do Doente

07 fev, 2019 - 15:45 • Ana Lisboa

O programa especial inclui a Oração do Rosário, catequese e a celebração da Missa com unção dos doentes.
A+ / A-

O próximo dia 11 de fevereiro promete ser uma tarde especial na Basílica da Santíssima Trindade, em Fátima.

O Santuário de Fátima informa, em comunicado, que para o Dia Mundial do Doente está previsto um programa com “início marcado para as 14h na Capelinha das Aparições, com a recitação do Rosário. Pelas 15h está agendada uma catequese na Basílica, seguida de Missa”.

O Padre José Nuno Silva, responsável pelo Departamento da Pastoral da Mensagem de Fátima, afirma que o santuário “é uma experiência de graça” e a proposta de reflexão para este dia vai ao encontro dessa “verdade fundamental da vida cristã”, porque “recebemos de graça e de graça damos e estamos de algum modo a assumir a responsabilidade que temos de cumprir este preceito que Nosso Senhor nos deixa”.

Em seu entender, “isto contradiz o espírito do nosso tempo, que está muito voltado para a conquista e para a recompensa, vivemos um tempo muito interesseiro em que as pessoas valem aquilo que conseguem e aquilo que têm”, explica.

O capelão afirma que “antes de dar, recebemos e é isso que importa refletir, porque aquilo que nos é dado em Fátima, foi-nos dado mesmo. Os Três Pastorinhos receberam e por eles nós recebemos também”.

Para o Padre José Nuno da Silva, “celebrar o Dia Mundial do Doente passa pela concretização desta realidade, de comunicar a graça que recebemos”. E lembra ainda que desde a primeira hora, “as narrativas da Irmã Lúcia sobre os acontecimentos dizem que os doentes estiveram desde sempre um lugar de destaque na história de Fátima”.

O tema deste ano, está em conformidade com o tema proposto pelo Papa Francisco para o XXVII Dia Mundial do Doente: “Recebestes de graça, dai de graça”.

O Santo Padre, na sua mensagem explica que o cuidado dos doentes “precisa de profissionalismo e ternura, de gestos gratuitos, imediatos e simples, como uma carícia, pelos quais fazemos sentir ao outro que nos é ‘querido’”.

“Contra a cultura do descarte e da indiferença, cumpre-me afirmar que se há-de colocar o dom como paradigma, capaz de desafiar o individualismo e a fragmentação social dos nossos dias, para promover novos vínculos e várias formas de cooperação humana entre povos e culturas”, afirma Francisco.

Recorde-se, que o Dia Mundial do Doente foi instituído a 11 de fevereiro de 1992 pelo Papa João Paulo II e é celebrado com o intuito de apelar à humanidade para que seja promovido um serviço de maior atenção à pessoa doente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.