A+ / A-

Envio de tropas para a Venezuela “é uma opção”, admite Trump

03 fev, 2019 - 14:27

Donald Trump também quer manter tropas no Iraque para poder manter o Irão “debaixo de olho”.
A+ / A-

Veja também


O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, diz que o envio de tropas para a Venezuela “é uma opção”.

Numa entrevista transmitida este domingo na cadeia CBS, o Presidente reconheceu ainda que Nicolás Maduro tinha pedido para se reunir com ele, mas que Trump tinha rejeitado.

Questionado diretamente sobre a possibilidade de uma intervenção armada, Trump respondeu “com certeza que isso é uma opção.

A nega a Maduro deve-se ao facto de o “processo” estar já muito adiantado, disse Trump. “Ele pediu uma reunião, mas eu rejeitei, porque já estamos muito adiantados no processo”.

Caso os Estados Unidos planeiem de facto uma intervenção, uma hipótese muito provável seria entrarem na Venezuela através da Colômbia. Washington já tem sete bases naquele país, incluindo três relativamente próximas da fronteira.

Há dias o conselheiro nacional da Segurança, John Bolton, foi fotografado com um bloco de notas onde se via escrito “cinco mil tropas para a Colômbia” e durante os últimos dias surgiram imagens nas redes sociais de colunas de helicópteros a sobrevoar cidades colombianas, que se especula serem americanos.

Na mesma entrevista à CBS, Donald Trump diz que apesar de já ter anunciado a saída das suas forças da Síria, é importante permanecerem no Iraque para poderem manter o Irão “debaixo de olho”.

“Mais vale mantê-los”, disse o Presidente, “Uma das razões é porque quero poder olhar um bocado para o Irão, porque o Irão é um problema grave”.

Questionado sobre se isso significava que queria poder atingir o Irão, o Presidente respondeu que “não, eu quero é poder manter o Irão debaixo de olho”.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.