Tempo
|
A+ / A-

Marcelo condecorou o cónego João Seabra, um apaixonado pela educação

29 jan, 2019 - 23:58 • Susana Madureira Martins , com redação

O cónego João Seabra, o amigo de infância do Presidente, foi descrito por Marcelo como um apaixonado pela educação e pela juventude a que tem dedicado toda a vida, fazendo referência particular à sua experiência como assistente nacional do Movimento Comunhão e Libertação.

A+ / A-
Marcelo condecora o cónego João Seabra - Reportagem de Susana Madureira Martins

Cerca de 300 a 400 pessoas assistiram esta terça-feira à condecoração do cónego João Seabra com a Ordem do Infante Dom Henrique.

A cerimónia decorreu na Sala dos Embaixadores, no Palácio de Belém, com o Presidente da República a distinguir um amigo de longa data por serviços prestados à educação, à cultura e à juventude.

João Seabra, o amigo de infância do Presidente, foi descrito por Marcelo como um apaixonado pela educação e pela juventude a que tem dedicado toda a vida, fazendo referência particular à sua experiência como assistente nacional do Movimento Comunhão e Libertação.

“Foi líder de um movimento que, embora com grande projeção na juventude, depois, foi tendo uma projeção intergeracional progressiva, um dos movimentos com maior eco na juventude na área cristã, trazido para Portugal nas últimas décadas e que explica o porquê de haver aqui uma junção de portugalidade e de vocação universal”, disse o chefe de Estado.

O cónego João Seabra é um homem de um Portugal aberto, um país marcado pela componente cristã, que para Marcelo terá sempre uma importância apreciável.

“Portugal esteve centro dessa ação educativa e dessa aproximação aos jovens, mas não um Portugal fechado, um Portugal aberto, próprio da expressão muito específica da vivência de uma das realidades que têm a ver com a história do país. É um país riquíssimo nas suas expressões culturais e civilizacionais, mas em que a componente cristã teve, tem e terá uma componente apreciável, e essa componente é inseparável da portugalidade e de uma vocação universal”, sublinhou o Presidente da República.

Após esta intervenção houve a imposição de insígnias ao cónego João Seabra, que a partir de agora é grande oficial da Ordem do Infante Dom Henrique.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • F.Almeida
    31 jan, 2019 Vern sur Seiche 13:53
    O sr. Conego João Seabra não me preocupa. O que me preocupa é a distração dos Deputados do meu pai's ...
  • Indignado
    31 jan, 2019 República das Bananas 12:02
    ais um acto indecoroso por parte do "nosso" Presidente. Condecorar o cónego João Seabra?! Por que razão?! Por amizade pessoal, sim, mas o Sr. não pode utilizar o seu cargo, supostamente, e pôr à frente as suas convicções pessoais. Ora eu como cidadão nem teria nada contra se esse cónego João Seabra não desculpabilizasse a Inquisição, nem menorizasse o seu efeito em Portugal, manipulando dados, secundarizando os efeitos que trouxe à sociedade portuguesa, fazendo analogias desapropriadas com os outros países europeus. Uma vergonha, repito, uma vergonha. Veja-se o próprio reaccionário em acção: https://youtu.be/oWGIobj24xY Este Presidente, uma vez mais, mancha a memória dos portugueses com as suas escolhas pessoais. Este Presidente, uma vez mais, põe as suas convicções pessoais à frente do rigor histórico. Este Presidente, por certo, não nos representa.

Destaques V+