A+ / A-

Papa não toma partidos sobre a crise na Venezuela

28 jan, 2019 - 13:22 • Filipe d'Avillez , Aura Miguel

Em conversa com os jornalistas Francisco disse que está ao lado de quem sofre, mas que seria pastoralmente imprudente tomar posição.
A+ / A-
Papa teme banho de sangue na Venezuela
Papa teme banho de sangue na Venezuela

Veja também


O Papa Francisco está muito preocupado com o que se passa na Venezuela, mas não quer tomar partidos.

Em conversa com os jornalistas que o acompanharam no voo do Panamá para Roma, Francisco disse estar solidário com o povo que sofre.

“É um povo que está a sofrer, de um lado e do outro, todo o povo sofre. Se eu dissesse ‘ouçam estes países, ouçam antes aqueles outros’, metia-me em assuntos que não conheço, seria uma imprudência pastoral da minha parte e causaria dano.”

“Sofro com o que se está a passar na Venezuela, neste momento. E por isso desejo que se ponham de acordo e encontrem uma solução justa e pacífica. O que me assusta é o derramamento de sangue. Eu tenho de ser pastor de todos. E se necessitam de ajuda, que a peçam de comum acordo”, concluiu o Papa.

A Venezuela atravessa uma crise política e social há vários anos, que se tem agravado. Recentemente Nicolás Maduro foi eleito para um novo mandato de seis anos, mas a oposição rejeita a legitimidade do escrutínio e tem promovido manifestações para exigir eleições verdadeiramente livres. Os bispos venezuelanos também se têm colocado do lado da oposição.

Já durante a Jornada Mundial da Juventude, no Panamá, o Papa se mostrou preocupado com a Venezuela, pedindo uma solução justa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.