A+ / A-

Segunda noite de incidentes na Grande Lisboa e Setúbal

23 jan, 2019 - 06:32 • Redação com Lusa

Não há registo de feridos ou de outros estragos, assim como não há detidos devido aos incidentes desta noite.
A+ / A-

Mais uma noite com incidentes na área metropolitana de Lisboa. Apesar do reforço policial, a PSP registou várias ocorrências na linha de Sintra, Loures e Setúbal entre as 23h30 de ontem e as 7h10 desta quarta-feira.

Num comunicado enviado às redações, a Polícia de Segurança Pública informa ter registado no Cacém/Massamá/Queluz 13 ecopontos e um caixote do lixo incendiados; em Loures três ecopontos incendiados; em Setúbal sete caixotes do lixo incendiados e uma viatura danificada.

O mesmo texto sublinha que em Camarate deflagrou um incêndio em quatro viaturas, sem origem criminosa, originado pela ocorrência de uma anomalia no sistema elétrico de uma delas. “A pronta intervenção conjugada dos polícias e dos bombeiros de várias corporações permitiu controlar todos os focos de incêndio e evitar males maiores”, acrescenta.

Não há registo de feridos ou de outros estragos, assim como não há detidos devido aos incidentes desta noite.

A PSP está a investigar estes casos e até ao momento não há suspeitos identificados.

A polícia tinha já dado conta, na terça-feira, de um reforço do policiamento com elementos da Unidade Especial de Polícia na Bela Vista e em algumas zonas de Loures e Odivelas (distrito de Lisboa), após incidentes registados durante a noite, com o lançamento de "cocktails Molotov" contra uma esquadra e o incêndio de caixotes e de várias viaturas.

Em comunicado, a PSP informou que continua as investigações a estes incidentes, "nada indiciando, até ao momento, que estejam associados à manifestação" de protesto contra uma intervenção policial no bairro da Jamaica, no Seixal (distrito de Setúbal).

Após a manifestação em frente ao Ministério da Administração Interna na segunda-feira, em Lisboa, quatro pessoas foram detidas na sequência do apedrejamento de elementos da PSP por participantes no protesto, convocado para dizer "basta à violência policial" e "abaixo o racismo".

Este protesto ocorreu um dia depois de incidentes em Vale de Chícharos, conhecido por bairro da Jamaica, entre a PSP e moradores, de que resultaram feridos cinco civis e um polícia, sem gravidade.

O Ministério Público e a PSP abriram inquéritos aos incidentes no bairro da Jamaica.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, afirmou ter "toda a confiança" na polícia, considerando que a "tranquilidade e a serenidade" são essenciais quando há incidentes como os registados nos últimos dias nos distritos de Lisboa e Setúbal.

Os quatro manifestantes detidos em Lisboa vão ser julgados sumariamente em 7 de fevereiro.


[notícia atualizada às 10h00]


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Fora com eles
    23 jan, 2019 Favela Rival 09:31
    Cerquem e entrem nesse bairro com brigadas do SEF, bem protegidas por contingentes da policia de intervenção e do Grupo de operações especiais. Passem a pente fino os habitantes e quem estiver ilegal por cá, guia de marcha para o país de origem. Quem tem mandatos de captura, preso de imediato. E se começarem a puxar dos telemoveis e/ou os racistas do SOS racismo aparecerem... identifiquem-nos também. E se se partirem alguns telemoveis ... não vem mal ao Mundo.