Tempo
|
A+ / A-

Papa cria perfil no ‘Click to Pray’ e convida jovens a fazerem o mesmo

20 jan, 2019 - 11:18 • Ângela Roque

“É uma alegria enorme”, diz à Renascença o responsável pelo projeto digital que nasceu em Portugal. Já tem 1 milhão e 200 mil utilizadores em todo o mundo, e vai ser a App oficial das Jornadas Mundiais da Juventude.

A+ / A-
Papa cria perfil no ‘Click to Pray’ e convida jovens a fazerem o mesmo
Papa cria perfil no ‘Click to Pray’ e convida jovens a fazerem o mesmo

O Papa tem, a partir deste domingo, um “perfil especial de utilizador” no ‘Click to Pray’, uma aplicação digital de oração criada em Portugal no final de 2014.

“Apresento-vos a plataforma ‘Click to Pray’, na qual hoje estou a abrir também o meu 'perfil'. Aqui irei inserir todas as minhas intenções e pedidos de oração pela missão da Igreja", afirmou Francisco durante a oração do Angelus, no Vaticano, desafiando sobretudo os mais novos a descarregarem também esta aplicação.

“Convido-vos especialmente a vós, jovens, que estais familiarizados com as novas tecnologias, a descarregar esta App, e a rezarem comigo especialmente no Panamá, na Jornada Mundial da Juventude (JMJ)”, disse o Papa, numa referência ao encontro que se realiza de 22 a 27 de janeiro.

A decisão de Francisco deixa muito satisfeito o diretor nacional da Rede Mundial de Oração (RMO) do Papa. “Francisco associa-se a esta plataforma como um utilizador especial, onde vai ter um perfil próprio onde vai colocar os seus pedidos, para que os utilizadores da plataforma também possam rezar pelas suas intenções e pedidos especiais de oração”, diz à Renascença o padre António Valério.

Lembrando que o impacto e as funcionalidades desta aplicação “made in Portugal” já tinham merecido a atenção do Vaticano e do Papa, que em 2016 pediu à RMO que mobilizasse os cristãos, através desta plataforma, para iniciativas de oração a nível mundial, este responsável sublinha que “isto também é encarado pelo próprio Secretariado das Comunicações da Santa Sé como um novo perfil numa plataforma social, porque o Papa já tem dois perfis em redes sociais, e agora cria este perfil próprio”.

“Chegar aqui é um dos pontos altos da vida deste projeto, que não seria possível sem o trabalho de equipa de muitas pessoas da Rede Mundial de Oração do Papa, espalhadas pelo mundo, na elaboração dos conteúdos, na manutenção da plataforma nas várias línguas e, sobretudo, na realização da sua missão, que é ajudar a rezar e a comprometer-se com os desafios para os quais o Papa Francisco pede maior atenção”, refere o sacerdote jesuíta, que não esconde a sua satisfação. “Para nós que criámos este projeto, é uma alegria enorme, é um momento muito especial e muito feliz”, adianta, lembrando que “há uma frase que o Papa repete continuamente, o 'rezem por mim', e rezar pelo Papa também é rezar por aquilo que ele traz no seu coração, os desafios do mundo e da missão da Igreja”.

Criado pelos jesuítas há 5 anos, em Portugal, o ‘Click to Pray’ já chega nesta altura a mais de um 1 milhão e 200 mil utilizadores em todo o mundo, e está disponível em seis línguas. “No website, na plataforma e nas aplicações, está disponível em português, espanhol, inglês, francês, italiano e alemão, mas está a ser preparada a versão vietnamita e a versão chinesa também está em preparação”, adianta o diretor nacional da Rede Mundial de Oração do Papa, explicando que o português, o espanhol e o inglês são as línguas mais usadas.

A aplicação, que foi, entretanto, atualizada para a JMJ, disponibiliza um conteúdo específico, o Terço pela paz. “O Papa tinha já pedido no seu vídeo para este mês de janeiro, para se rezar o terço pela paz, e por isso a App também já disponibiliza esta proposta de oração, e o ‘Click to Pray’ também é a aplicação oficial de oração da Jornada Mundial da Juventude no Panamá”.

O ‘Click to Pray’ foi lançado em Fátima a 21 de novembro de 2014, através de uma parceria com o Departamento Nacional da Pastoral Juvenil e com o apoio do Grupo Renascença, da Agência Ecclesia e da Aleteia.

Está acessível através do site www.clicktopray.org , de aplicações para iPhone e Android, no Youtube, em redes sociais como o Facebook e o Twitter, e também pode ser recebida diariamente por email.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 21 jan, 2019 Palmela 00:45
    Não estou de acordo! esta ideia do papa vai ser mal o interpretada!

Destaques V+