A+ / A-

Costa da Caparica. Praticante de bodyboard desaparecido regressou a casa

16 jan, 2019 - 07:26

Durante vários dias foram mobilizados meios para fazer as buscas por ar, mar e terra.
A+ / A-

O bodyboarder desaparecido na semana passada na Costa da Caparica regressou a casa na terça-feira. Na altura, as buscas mobilizaram Marinha e Força Aérea.

Escreve o “Correio da Manhã” que o homem, de 37 anos, voltou a casa passados dez dias e a família não deu explicações sobre o que se passou à Marinha.

Durante vários dias foram mobilizados meios para fazer buscas por ar, mar e terra, que custaram uma fortuna ao Estado. Só o uso do helicóptero EH 101 Merlin ultrapassa os três mil euros por hora, contabiliza o jornal.

As autoridades estão a elaborar um "expediente sobre o caso" para remeter ao Ministério Público.

O praticante de bodyboard foi dado como desaparecido no dia 6 de Janeiro. A Polícia Marítima foi chamada ao local, acabando por detetar a viatura do homem desaparecido na zona urbana da Costa da Caparica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • fanã
    16 jan, 2019 aveiro 19:50
    Está bom de Saúde ...........Óptimo !!!!!! , agora que enfrente a decisão do M.P . Espero que lhe seja apresentada a ele e família , uma dolorosa bem pesada . Estas "parvoíces" , custam ao erário Publico ! ......
  • Carlos Gonçalves
    16 jan, 2019 Seixal 18:22
    Esse anormal e a família deviam pagar com língua de palmo e apanharem com os costados na choça para não brincarem com coisas sérias e com o dinheiro de todos nós!!
  • José Cruz Pinto
    16 jan, 2019 ILHAVO 13:29
    Quando é que insconscientes (ou idiotas) destes (assim como pescadores à beira de falésias e autores de outras bacoradas equivalentes), se sairem vivos, serão efectivamente responsabilizados (tenham ou não tenham dinheiro para tal) por todos os custos das operações de resgate? [Não tendo dinheiro, para isso serviriam as prisões e as condenações a serviço efectivo e duradouro à comunidade, como nalguns países civilizados.] Ou terei que ser eu e os demais cidadãos a pagar todas as folias do género? E como é possível não se saber ainda o que fez ou o que lhe aconteceu? Foi raptado? [Venham as provas.] Teve um ataque de amnésia? Como e onde se manteve este tempo todo?