A+ / A-

Xutos e Pontapés assinalam 40 anos de carreira

13 jan, 2019 - 09:19 • Lusa

Foi numa madrugada de janeiro, em 1979, que aquela que viria a ser uma das bandas rock portuguesas mais duradouras se apresentou pela primeira vez ao vivo.
A+ / A-

Celebra-se este domingo o nascimento oficial dos Xutos & Pontapés. A banda nasceu a 13 de janeiro de 1979 no salão de baile dos Alunos de Apolo, em Lisboa, numa noite em que os quatro músicos tocaram também quatro músicas em pouco mais de cinco minutos.

O grupo que chegou a chamar-se Delirium Tremens e depois Beijinhos e Parabéns, contava com os jovens Zé Pedro, Kalú, Tim e Zé Leonel, influenciados pelo punk-rock que entrava em força na cena musical estrangeira.

Quarenta anos depois, o grupo conta com mais de uma dezena de álbuns e muitas canções que servem de âncora para um clã do rock com milhares de fãs de várias gerações. Os ícones do rock português estão agora em menor número: Zé Pedro faleceu em 2017 e Zé Leonel em 2011.

Para assinalar os 40 anos de carreira, os Xutos & Pontapés editam um novo álbum, "Duro", que sairá no dia 25, coincidindo com um concerto no espaço Lisboa ao Vivo. A 1 de fevereiro apresentam-no no Hard Club, no Porto.

Este é também o primeiro álbum que Kalú, Tim, João Cabeleira e Gui editam sem o guitarrista Zé Pedro, mas o registo incluirá gravações feitas ainda por este músico.

Musicalmente, "Duro" deverá ser de rock mais pesado, como resposta ao registo anterior, "Puro", de 2014, como contou o baixista e vocalista Tim e o guitarrista João Cabeleira à agência Lusa.

Aos fãs, a banda explica que o álbum "Duro" é "um legado de perseverança e persistência, de luto e de alegria, de ansiedade e calma".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.