A+ / A-

Pinto Balsemão considera "patética" a polémica dentro do PSD

12 jan, 2019 - 14:11 • Lusa

Luís Montenegro anunciou estar disponível para ser “de imediato” candidato à liderança do partido, desafiando Rui Rio a eleições diretas já.
A+ / A-

O antigo primeiro-ministro e fundador do PSD Francisco Pinto Balsemão considerou, este sábado, que os últimos acontecimentos no partido tiveram “um conteúdo um pouco melodramático ou patético” e com um "timing" que não foi oportuno.

À margem da II Ronda da Conferência "Democracia e Governança: Um Futuro a Construir", promovida pela Fundação José Maria Neves para a Governança e que decorre na cidade da Praia, em Cabo Verde, Pinto Balsemão não se quis alongar em comentários sobre a situação interna do PSD, mas disse que não lhe pareceu oportuno o anúncio de candidatura de Luís Montenegro.

“Eu aqui em Cabo Verde, à distância, só quero dizer que não me pareceu oportuno quanto ao 'timing' e que me pareceu um conteúdo um pouco melodramático ou patético", afirmou.

O antigo líder parlamentar do PSD Luís Montenegro anunciou na sexta-feira que está disponível para ser “de imediato” candidato à liderança do partido, desafiando o líder, Rui Rio, a marcar eleições diretas já e a apresentar a sua própria candidatura.

Numa declaração sem direito a perguntas no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, Montenegro disse não se resignar a “um PSD pequeno, perdedor, irrelevante, sem importância política e relevância estratégica”.

Rui Rio disse que vai responder a Luís Montenegro, mas com "calma e na devida altura".

"Eu vou responder, naturalmente, não vou fazer de conta que nada está a acontecer, seria uma grande hipocrisia. Agora eu fui corredor de 100 metros, mas quando tinha 20 anos de idade, agora é mais meio-fundo e fundo, portanto, com calma e na devida altura".

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.