A+ / A-

Ministério da Saúde chama enfermeiros para nova reunião

12 jan, 2019 - 14:05 • Lusa

Resta saber se se mantém a greve que começa na segunda-feira. Na sexta-feira, um dos sindicatos admitiu que a paralisação poderia ser desconvocada caso o Governo marcasse uma nova ronda de negociações.
A+ / A-

O Ministério da Saúde convocou os sindicatos dos enfermeiros para uma reunião na quinta-feira, dia 17, uma das condições impostas por um sindicato para desconvocar a greve em blocos operatórios.

Fonte oficial do gabinete da ministra da Saúde adianta este sábado à agência Lusa que os vários sindicatos de enfermeiros foram convocados para uma reunião com elementos do Governo das áreas da Saúde e das Finanças.

No final da reunião que decorreu na sexta-feira, a dirigente da Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE) afirmou que os sindicatos, face aos compromissos obtidos, decidiam manter a greve dos enfermeiros convocada entre 14 de janeiro e 28 de fevereiro, mas admitindo desconvocá-la se o executivo marcasse nova reunião negocial para 17 de janeiro, o que agora se verifica.

A ronda negocial relativa à carreira de enfermagem resultou em algumas cedências aos profissionais – como a criação da categoria de enfermeiro especialista e o descongelamento das progressões na carreira – mas não em todas as reivindicações sindicais, que exigem também aumentos salariais e a antecipação da idade da reforma.

A greve convocada para se iniciar na segunda-feira segue o modelo da que já ocorreu entre 22 de novembro e 31 de dezembro e que teve origem num movimento de enfermeiros que lançou uma recolha de dinheiro numa plataforma online para ajudar a financiar os colegas durante a paralisação.

Este sábado, às 11h20, o valor atingido estava nos 400.777 euros.

A greve convocada poderá afetar blocos cirúrgicos de sete centros hospitalares: os dois centros do Porto, Braga, Vila Nova de Gaia/Espinho, Entre Douro e Vouga, Tondela/Viseu e Garcia de Orta.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.