A+ / A-

Capela do Rato acolhe debate sobre apoio espiritual em cuidados paliativos

11 jan, 2019 - 17:15 • Ana Lisboa

O tema vai ser debatido na Capela do Rato por um frade franciscano e por especialistas na área da saúde.
A+ / A-

“Doente em Cuidados Paliativos e Espiritualidade” vai ser o tema para uma reflexão na Capela do Rato, em Lisboa, na próxima segunda-feira, às 21h00.

O encontro, inserido no ciclo “Situações Limite e Espiritualidade”, vai abordar duas perspetivas distintas.

Ana Verdelho, médica e moderadora deste debate, afirma que “uma é que a representação espiritual na vida das pessoas, seja ela qual for, tem um benefício em várias áreas: qualidade de vida, controlo de dor e cuidados paliativos. Isso é algo que tem sido abordado em alguns estudos e que se consegue obter esses resultados. Portanto, um apoio espiritual pode ajudar alguns dos sintomas dos doentes que já se encontram em cuidados paliativos. Outra questão é se isto existe e se é uma oferta habitual, ou se sequer é um tema habitual quando se aborda um doente que já está em cuidados paliativos”.

Esta responsável confessa que é difícil para os especialistas abordarem este assunto, já que “no plano clínico não há uma formação específica. Por exemplo, nas faculdades de medicina, como abordar o tema da espiritualidade, fazer parte integrante de uma abordagem terapêutica”.

Participam no debate o frade franciscano, Frei Hermínio Araújo, a médica e deputada Isabel Galriça Neto e ainda Joana Mendes, uma enfermeira especialista em cuidados paliativos e Sofia Madureira, psicóloga clínica.

A sessão está aberta a todos os interessados. Basta aparecer na próxima segunda-feira, às 21h, na Capela do Rato, em Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.