A+ / A-

Ataque ao poder no PSD pode não atingir Rui Rio

10 jan, 2019 - 15:49 • Paula Caeiro Varela

Já estão reunidas as assinaturas necessárias para pedir um Conselho Nacional extraordinário e Luís Montenegro avança até ao inicio da próxima semana.
A+ / A-

A oposição a Rui Rio no seio do PSD já conseguiu reunir as 33 assinaturas necessárias para a convocação de um Conselho Nacional extraordinário com vista à destituição da atual direção, mas o processo, mesmo que saia vitorioso, não implica automaticamente a queda de Rui Rio.

A Renascença falou com vários responsáveis do PSD que garantem que este ataque ao poder era previsível e lembram que a moção de censura será aos órgãos do partido e não ao líder. Ou seja, uma moção de censura aprovada em Conselho Nacional pode levar à queda dos órgãos partidários que são eleitos em Congresso, mas não do presidente, que foi escolhido em eleições diretas. Rio pode ficar sem comissão política, mas não perde a liderança do partido.

Caso a moção de censura ganhe, cabe a Rui Rio decidir se pede a convocação de um congresso extraordinário para eleger uma nova comissão política ou se se demite e provoca eleições diretas para a liderança.

Estes cenários já estão a ser considerados entre os próximos de Rio que, garantem, não foi surpreendido pelo acelerar da oposição interna, nesta altura. Alguns dirigentes disseram mesmo à Renascença que estavam atentos e à espera de um ataque ao poder por volta desta data pelo facto de começar a aproximar-se o tempo de fazer listas: primeiro para o Parlamento Europeu e, depois, para a Assembleia da República.

O cenário interno do PSD acelerou com a hipótese de convocação de um Conselho Nacional e com a declaração de Luís Montenegro - o ex-líder parlamentar que, no congresso do ano passado, pré-anunciou disponibilidade para a liderança partidária - de que em breve diria alguma coisa sobre o PSD.

"Em breve, muito em breve falarei sobre o estado do PSD, falarei mesmo sobre o futuro do PSD porque entendo que este estado de coisas tem, efetivamente, de acabar. Isto tem que mudar, o PSD assim não vai conseguir afirmar-se”, disse Montenegro, na quarta-feira, no programa semanal que tem na TSF.

O “em breve” será até ao inicio da próxima semana e será um anúncio de candidatura e um desafio a Rui Rio para uma disputa eleitoral cuja realização dependerá do próprio Rui Rio.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.