Tempo
|
A+ / A-

Brexit votado a 15 de janeiro. "Não deixem que a busca pela perfeição seja inimiga de um bom acordo"

07 jan, 2019 - 11:35 • Redação com Lusa

O apelo é da primeira-ministra Theresa May, que decidiu adiar a votação de dezembro, face ao chumbo quase certo do acordo com a UE.

A+ / A-

Veja também:


Está escolhida a data em que o Parlamento britânico vai votar o acordo para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 15 é a data que a BBC está a avançar para a votação na Câmara dos Comuns.

"O plano é ganhar a votação na terça-feira ou quando quer que seja. O plano, o foco e o objetivo é ganhar a votação", afirmou esta segunda-feira de manhã o secretário de Estado adjunto para o Brexit, Kwasi Kwarteng.

Entrevistado no programa Today, da rádio BBC 4, Kwarteng mostrou-se confiante na aprovação do documento e rejeitou a ideia de que a primeira-ministra apresentaria o texto de novo aos deputados se perdesse.

O "voto significativo" – como é conhecida esta votação – estava inicialmente previsto para 11 de dezembro, mas foi adiado pelo Governo na véspera, devido ao risco de chumbo por uma "margem significativa", justificou na altura a primeira-ministra, Theresa May.

De lá para cá, May tem-se desdobrado em contactos – até dentro do seu próprio partido – e continua a defender a sua versão para o Brexit.

No domingo à noite, também numa entrevista à BBC, Theresa May dizia que um eventual chumbo iria lançar o Reino Unido em território desconhecido.

“Se o acordo for rejeitado, entramos em território desconhecido. Não creio que alguém possa dizer o que vai acontecer em termos de reação no Parlamento. Porque temos na Câmara dos Comuns um Partido Trabalhista que anda a brincar com isto, que rejeita qualquer acordo para criar um verdadeiro caos”, criticou.

“Há quem queira um segundo referendo para travar o Brexit e há quem pretenda um Brexit perfeito. Mas não deixem que a busca pela perfeição seja inimiga de um bom acordo, porque o perigo é acabarmos sem qualquer Brexit", avisou ainda.

O debate na Câmara dos Comuns será retomado na quarta-feira e prolonga-se até quinta ou sexta-feira.

A primeira-ministra defende ainda que não haverá tempo para um novo referendo antes de 29 de março (o dia marcado para a saída oficial do Reino Unido) e considera que, a existir nova consulta, seria uma falta de respeito face ao resultado de 2016.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+