A+ / A-

Aeroportos de Londres compram equipamento militar antidrones

04 jan, 2019 - 07:07 • Reuters

Medida surge depois de o aeroporto de Gatwick ter estado encerrado durante três dias devido ao avistamento destas aeronaves não tripuladas.
A+ / A-

Os aeroportos de Gatwick e Heathrow, em Londres, compraram equipamento militar de defesa antidrone. Uma decisão que surge depois de, em dezembro, o aeroporto de Gatwick ter estado encerrado durante três dias devido à presença de drones no espaço áereo.

“Embora não possa entrar em detalhes sobre o que temos exatamente, posso confirmar que este é um investimento de vários milhões de libras que garante que estamos num nível equivalente ao das Forças Armadas”, confirma um porta-voz do aeroporto de Gatwick, à agência Reuters, sem adiantar mais pormenores.

O novo equipamento já está a ser utilizado há mais de uma semana em Gatwick.

Também o aeroporto de Heathrow, o mais movimentado da Europa, confirmou a encomenda do equipamento. Os responsáveis do aeroporto dizem estar a trabalhar com as autoridades, incluindo a polícia, e procuram tecnologia relevante para combater a ameaça de drones.

Em dezembro, os drones causaram grandes transtornos no aeroporto de Gatwick, atrapalhando os planos de viagem de dezenas de milhares de pessoas antes do Natal. O incidente levou ao cancelamento de cerca de mil voos e afetou 14 mil passageiros.

Nessa altura, os militares foram chamados para colocar equipamentos especializados, que garantiram a segurança das descolagens e aterragens. Alguns meios de comunicação avançaram que, entre a tecnologia utilizada, estava o sistema Drone Dome, projetado por Israel.

Nas últimas semanas, o ministro da Segurança do Reino Unido, Ben Wallace, garantiu que as forças de segurança britânicas têm sistemas de deteção que podem ser implementados em todo o país para combater a ameaça dos trones.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.