A+ / A-

João Pereira vence S. Silvestre de Lisboa

29 dez, 2018 - 20:43

Dulce Félix perdeu “guerra dos sexos” mas foi a primeira mulher.

A+ / A-

João Pereira venceu a S. Silvestre de Lisboa, ultrapassando nos metros finais Dulce Félix e garantindo o triunfo masculino na 'guerra dos sexos' da prova.

O triatleta do Benfica conseguiu o triunfo individual, recuperando a desvantagem de 3.53 minutos com que os homens partiram, e cumpriu o percurso em 29.30 minutos.

"À sexta foi de vez. Depois de tentar cinco vezes, com subidas ao pódio, finalmente consegui triunfar. Esta subida à Avenida da Liberdade estava a ser um inferno. Desta vez consegui chegar aqui sozinho e isso deu-me mais força para lutar pelo triunfo. Já na descida, quando vi que só faltava passar uma atleta, ganhei mais ânimo e consegui ultrapassá-la nos metros finais", disse João Pereira no final da sua corrida.

, ainda tentou perseguir o fugitivo, mas Samuel Barata, vencedor da época passada, foi segundo e

que ficou agora em segundo lugar (30.28) e Hermano Ferreira, da Escola de Atletismo de Coimbra, vencedor em cinco ocasiões, terceiro classificado.

Em femininos, venceu Ana Dulce Félix (33.32), que conquistou o seu sexto triunfo.

"Foi mesmo por um bocadinho que não consegui manter a vantagem. Dei tudo o que tinha, andei sempre na frente, do primeiro ao último quilómetro, mas faltou-me alguém que estivesse ao meu nível para continuar num ritmo mais forte. No último quilómetro dei tudo, mas o João apareceu muito forte e conseguiu ultrapassar-me e dar o triunfo ao sexo masculino", referiu a atleta, que estava contente pelo seu sexto triunfo na prova feminina.

Ainda subiram ao pódio a sportinguista Susana Godinho (34.49) e a individual Ercília Machado (35.27).

Na guerra dos sexos há agora cinco vitórias para cada lado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.