A+ / A-

Oficiais de Justiça anunciam greve parcial durante dez meses

27 dez, 2018 - 13:52 • Agência Lusa

Pré-aviso de greve foi entregue esta quinta-feira.
A+ / A-

O Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ) apresentou esta quinta-feira o aviso prévio de greve ao trabalho não remunerado para o próximo ano, pré-aviso esse que vai de 4 de janeiro a 4 de outubro.

Em comunicado divulgado hoje, o SOJ adianta que a greve se prende com “a falta de reconhecimento, por parte do Ministério da Justiça, ao trabalho obrigatório que é efetuado pelos Oficiais de Justiça, sem qualquer tipo de remuneração ou de reconhecimento, nomeadamente para efeitos do regime de aposentação”.

Este ano, o SOJ associou-se à greve nacional marcada pelo Sindicato dos Funcionários Judiciais para os dias 29 de junho, 2 e 3 de julho e à paralisação parcial que está a decorrer até ao dia 31 deste mês.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    27 dez, 2018 évora 18:42
    Outro grupo de Terrorista Mercenários que auferem ilicitamente euros sem pagarem impostos nos dias de greve e sabendo que fecham as Secretarias dos Tribunais pelas 16h ao povo , ainda dizem e querem mais euros ? Já ganham como kalifas das Arábias vs o trabalho feito por particulares idêntico e mais rigoroso até , não admira venderem informações secretas ou segredo de justiça a jornais para pagarem o encharcamento em créditos bancários , não sabem viver e depois dizem ter trabalho a mais , dá para rir , qualquer pessoa que vá aos tribunais e veja a descontração no trabalho desta gente , mais valia dizerem aos capangas das forças de segurança para evitarem os crimes nas ruas e assim teriam menos trabalho em processos inúteis . Até porque vendo bem o Ministério Pública acusa milhares de processos para julgamento e depois só 10 a 15 % transita em julgado com condenação , ora aqui de vê a máfia organizada que existe na justiça criminal , mama os polícias , os agentes da justiça e os advogados que já são mais em Portugal que vespas Asiáticas . Portanto : Mamar ... mamar ... mamar ! No tempo do PSD cortaram-lhes 300 euros no ordenado e viveram até hoje sem greves e agora que tem os 300 euros de volta querem mais 300 euros para comprarem Mercedes e fazerem cada vez menos , pois a informática nos tribunais simplificou muito ou quase 70 % do trabalho que tinham antes , até os áudios chegam aos jornais em mp3 , não em folhas escritas manuscritas pelo pulso .