A+ / A-

Festival Tinto no Branco com Mia Couto, Olivier Rolin e Joanne Harris

08 dez, 2018 - 10:38 • Maria João Costa

Anuncia-se como a edição mais internacional. A quarta edição do Festival Tinto no Branco que decorre até domingo em Viseu junta destacados e premiados autores como o moçambicano Mia Couto, o francês Olivier Rolin e a britânica Joanne Harris. Na página em branco das conversas, o mote é o vinho.
A+ / A-

Os livros voltam a ser servidos acompanhados por um copo de vinho, em Viseu. A quarta edição do festival literário Tinto no Branco, reúne mais uma vez no Solar do Vinho do Dão, a mostra de vinhos regionais na iniciativa Vinhos de Inverno e a literatura. Até domingo passam pelas terras de Viriato escritores, realizadores, encenadores e músicos. Pedro Abrunhosa, Dead Combo, os escritores Mia Couto e Olivier Rolin estão entre os convidados de uma programação diversificada.

O que pode ver e ouvir no sábado em Viseu

A tarde de sábado começa, às 15h com uma conversa que junta o poeta e tradutor Daniel Jonas e o encenador Ricardo Pais em torno da literatura e do teatro. Com a moderação do vereador da cultura Pedro Sobrado, a mesa de debate tentará responder à questão provocatória "Será Shakespeare o melhor escritor de sempre?".

A famosa autora do sucesso "O Chocolate" que foi adaptado ao cinema, Joanne Harris será a protagonista da tarde. A escritora britânica chega a Viseu para uma entrevista de vida que terá lugar, às 16h, na tenda montada para o festival Tinto no Branco, no Solar do Vinho do Dão. Harris, que tem um romance em torno do vinho, irá falar sobre a sua carreira e vida.

Para os mais novos, às 16h30 há uma sessão infantojuvenil. A autora de livros para crianças, Raquel Patriarca, irá animar a sessão designada "Das Ideias às palavras. Das palavras aos Versos". Mas o destaque da tarde será a presença do escritor, finalista do prémio Goncourt, Olivier Rolin que vai ser entrevistado pela escritora portuguesa Filipa Melo às 17h. O autor de títulos como "O Meteorologista" ou "Vera Cruz" publicados em Portugal pela Sextante, e que viveu parte da sua infância em África, irá falar sobre a sua obra e vida, numa altura em que escreve também reportagem para jornais e é editor.

Na tenda literária no final da tarde, às 18h, a conversa será em torno do cinema e da literatura e juntará o realizador António-Pedro Vasconcelos e o músico Pedro Abrunhosa, num diálogo moderado pelo crítico de cinema Rui Pedro Tendinha.

Além de uma sessão em torno do vinho com quatro jovens enólogos, pelas 19h, o festival terminará a noite com um concerto dos portugueses Dead Combo.

Um dos sucessos deste festival são as visitas guiadas pela cidade feitas por escritores. Este sábado a autora Deana Barroqueiro faz um passeio pela Sé de Viseu e ajuda o público a descobrir as histórias que ajudaram a construir uma das catedrais do país, neste que é o Ano Europeu do Património. Paralelamente nesta edição do festival decorrem uma oficina de escrita criativa dada pela escritora Filipa Melo e uma exposição para o público infantil da autoria do Ilustrador Paulo Galindro intitulada "O Cuquedo".

E no domingo, o que há para ver em Viseu?

A manhã começa com uma oficina de Tradução que será dada por Nuno Quintas, mestre em edição de texto e que nesta ação de formação falará sobre as diferentes escolas de tradução, as ferramentas e as diversas opções de que um tradutor dispõe. À tarde o escritor João Morgado irá apresentar pelas 15h o livro de Deana Barroqueiro, "1640".

A centrar as atenções do público estará certamente a sessão agendada para as 16h com Mia Couto. O autor de "A varanda de Frangipani" irá ser alvo de uma entrevista de vida, isto numa altura em que a realizadora Solveig Nordlung prepara um documentário em torno da vida do escritor que já venceu o Prémio Camões.

E por se tratar de um festival literário que tem como pano de fundo os vinhos, não poderia faltar para a conversa a gastronomia. Pelas 17h, o escritor Francisco José Viegas, o editor Filinto Elísio e o ministro da Cultura de Cabo Verde, Abraão Vicente juntam-se para uma conversa sobre "Que histórias precisamos para fazer um bom prato? Ou que ingredientes para escrever uma boa história?"

A quarta edição do Festival Tinto no Branco é organizada pela autarquia de Viseu, com produção executiva da Booktailors.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.