A+ / A-

Humorista Kevin Hart desiste de apresentar os Óscares

07 dez, 2018 - 07:35

Humorista não resistiu às críticas sobre as afirmações que fez há mais de sete anos, consideradas ofensivas pela comunidade homossexual.
A+ / A-

O ator e comediante Kevin Hart desistiu de apresentar a cerimónia dos Óscares de 2019 devido ao coro de críticas nas últimas horas sobre afirmações do norte-americano que têm mais de sete anos, consideradas ofensivas pela comunidade homossexual.

“Tomei a decisão de renunciar à apresentação dos Óscares deste ano... porque não quero ser uma distração numa noite que deve ser comemorada por tantos artistas talentosos incríveis. Peço as minhas mais sinceras desculpas à comunidade LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros] pelas minhas palavras insensíveis feitas no passado", escreveu o comediante na sua conta oficial na rede social Twitter.

O ator norte-americano publicou também um vídeo na rede social Instagram, em que revelou que recebeu um telefonema da Academia, pedindo que ele pedisse desculpa, ou teriam que encontrar outro apresentador. "Eu passo isso, não quero pedir desculpa. Porque já o fiz várias vezes".

Num outro vídeo, publicado quatro horas antes, o humorista lembrou que as declarações que proferiu e os 'tweets' que escreveu foram "há quase oito anos".

"Tenho quase 40 anos. Se vocês não acreditam que as pessoas mudam, crescem e evoluem quando ficam mais velhas, não sei o que vos dizer", disse, acrescentando que "o mundo está a ficar mais do que louco".

Kevin Hart afirmou ainda que não compreende porque é que, hoje em dia, as pessoas têm que "se justificar constantemente por coisas que fizeram no passado".

A organização não-governamental GLAAD, cujo foco é a monitorização da forma como os 'media' retratam a comunidade LGBT, afirmou ter apresentado uma queixa junto do canal de televisão ABC, emissora dos Óscares, e na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas para "discutir a retórica e o registo anti-LGBT de Kevin".

Uma das maiores críticas desta organização é contra um especial de comédia de Kevin Hart, em 2010, onde este disse: "Se eu puder impedir meu filho de ser 'gay', eu faço-o".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Adriano
    07 dez, 2018 lisboa 09:09
    A (ditadura de minorias) sem permissão de liberdade de expressão e condicionando a vida dos heterossexuais contra esta opressão está a fazer surgir movimentos altamente penalizadores para estes censuristas.LGBT os INTOCÀVEIS??????Esta atitude descredibiliza os OSCARES.PREMIOS NOBEL; FIFA??por pensamentos únicos isolacionistas etc.O MUNDO MUDOU brutalmente com TRUMP,PUTIN e XI os resultados irao chegando e os subsídios e adesão a estes movimentos irao secando porque não têm cobertura politica das maiorias nem dos seus dirigentes que são híper-conservadores.