A+ / A-

Padeiro português assassinado na Venezuela

06 dez, 2018 - 23:01

Este é o segundo português assassinado esta semana, depois de na manhã de sábado um comerciante ter sido morto quando se preparava para abrir a sua frutaria.
A+ / A-

Um comerciante português da área de panificação foi hoje assassinado por homens armados que tentaram roubar a sua viatura, na avenida Rómulo Gallegos de Horizonte, a leste de Caracas, capital da Venezuela, disseram fontes da comunidade portuguesa local.

Este é o segundo português assassinado esta semana na Venezuela, depois de na manhã de sábado um comerciante, de 58 anos, ter sido assassinado quando se preparava para abrir a sua frutaria, na ilha de Margarita.

O homicídio de hoje ocorreu pelas 05:00 horas locais (09:30 horas em Lisboa), quando Lino Alves, de 65 anos, se dirigia para a padaria Rosalva, de que era um dos proprietários, segundo as mesmas fontes.

A vítima foi intercetada pouco antes de abrir o estabelecimento por homens armados e terá oferecido resistência quando estes pretendiam roubar a sua viatura.

O comerciante português foi levado para uma clínica, na qual já deu entrada sem sinais vitais e com uma bala no tórax.

O assassinato deste comerciante está a originar diversas reações.

O político opositor venezuelano Juan Carlos Vidal, do partido Primeiro Justiça, disse, na rede social Twitter, que "exige justiça”.

Residentes em Horizonte reclamam vigilância policial.

Segundo fontes policiais, o caso está a ser investigado pelo Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (antiga Polícia Técnica Judiciária).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.