A+ / A-

Fóssil de Tentúgal prova que crocodilos são mais antigos do que se pensava

06 dez, 2018 - 17:53

A nova espécie chama-se Portugalosuchus azenhae e tem cerca de 95 milhões de anos. O fóssil é composto por um crânio e uma mandíbula.
A+ / A-

A descoberta em Tentúgal de uma nova espécie de crocodilo veio mudar as ideias que os especialistas tinham sobre esta espécie. Afinal, os crocodilos terão mais 20 milhões de anos do que até agora se calculava.

O fóssil com 95 milhões de anos de idade é composto por um crânio e uma mandíbula e foi descoberto por Matilde Azenha, que fica para sempre ligada ao nome dado a esta nova espécie, o Portugalosuchus azenhae.

Segundo o paleontólogo Octávio Mateus, “este fóssil é único na sua anatomia e peça-chave para compreender as fases iniciais da evolução dos crocodilos, por ser o mais antigo do grupo a que chamamos Crocodylia, os verdadeiros crocodilos".

O fóssil foi estudado por Mateus e Eduardo Puértolas-Pascual, especialista em crocodilos na Universidade Nova de Lisboa. O estudo foi publicado na prestigiada revista científica “Zoological Journal of the Linnean Society”.

O fóssil que deu origem a esta descoberta vai ser exposto em breve no Museu da Lourinhã.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.