A+ / A-

Paulo Sousa admite desejo de regressar a Itália

06 dez, 2018 - 10:18

Treinador português está sem clube desde que deixou o Tianjin Quanjian, da China. Em entrevista à BBC, "pisca" o olho à Roma.
A+ / A-

Paulo Sousa gostaria de voltar a treinar em Itália. Em entrevista à BBC, o treinador português, que está sem clube após ter deixado os chineses do Tianjin Quanjian, falou sobre o Juventus-Inter de Milão e reafirmou o desejo de regressar ao futebol italiano.

Paulo Sousa explicou que o futebol italiano "faz crescer como treinador", porque é preciso "estudar sempre um jogo diferente". "Gosto de como é vivido, todos os dias, por toda a gente", afirmou.

Questionado se gostaria de treinar a Roma, Paulo Sousa "fintou" um pouco, mas não deixou de responder: "A minha ambição é treinar uma equipa que possa ganhar o Scudetto [campeonato italiano] e que tente vencer mais ainda. A Roma tem isso tudo."

Dérbi de Itália com vencedor provável

Sobre o Dérbi de Itália, Paulo Sousa, que representou ambos os clubes como jogador, observou que o jogo "pode ser um sinal da mudança" que está a ocorrer no "calcio". "Parece-me que o futebol italiano está a tentar melhorar e impor um futebol mais ofensivo", explicou.

Apesar do equilíbrio que costuma pautar este dérbi, Paulo Sousa atribuiu favoritismo aos atuais heptacampeões: "A Juventus nunca teve um plantel tão forte, em termos de número, qualidade e diversidade de jogadores. Allegri pode mudar o sistema de jogo como e quando quiser."

Paulo Sousa foi, também, instado a estabelecer uma comparação entre Mauro Icardi e Cristiano Ronaldo, os goleadores do Inter e da Juve, respetivamente. O treinador português admitiu que gosta muito de Icardi, que é "um dos melhores pontas-de-lança do mundo", mas a sua preferência é clara. "Para mim, Ronaldo é o melhor jogador do mundo. Acima de tudo, pela forma como conseguiu manter sempre a mesma continuidade naquilo que faz e naquilo que é necessário para vencer."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.