A+ / A-

​Luxemburgo vai ser o primeiro país do mundo com transportes públicos grátis

06 dez, 2018 - 00:56

Durante a campanha eleitoral, o primeiro-ministro prometeu que as questões ambientais serão prioridade no grão-ducado.
A+ / A-

O Luxemburgo vai ser o primeiro país do mundo a tornar todos os transportes públicos gratuitos.

A partir do próximo verão, ninguém paga para viajar nos comboios, elétricos e autocarros do grão-ducado.

A medida vai ser implementada pelo Governo de coligação do primeiro-ministro, Xavier Bettel, que foi reeleito e tomou posse esta quarta-feira.

O novo executivo é uma coligação entre o Partido Democrata, os Verdes e os socialistas, e conta comum lusodescendente: Félix Braz, filho de emigrantes algarvios, foi nomeado vice-primeiro-ministro.

Durante a campanha eleitoral, Bettel prometeu que as questões ambientais seriam uma das principais prioridades do Luxemburgo.

A Cidade do Luxemburgo, capital do país com uma grande comunidade portuguesa, é considerada uma das mais congestionadas do mundo.

Tem cerca de 110 mil habitantes, mas todos os dias 400 mil pessoas rumam à cidade para trabalhar ou estudar e muitas utilizam viatura própria, de acordo com o jornal “The Guardian”.

Muitas destas pessoas são provenientes dos países vizinhos, como a França, Bélgica ou Alemanha.

Um estudo estima que os condutores ficaram, em média, de 33 horas retidos em filas de trânsito na Cidade do Luxemburgo, durante o ano de 2016.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José Cá
    07 dez, 2018 Luxemburgo 11:41
    é útil