A+ / A-

América despediu-se de ​George Bush, “um homem genuinamente otimista”

05 dez, 2018 - 23:07

A cerimónia fúnebre, na catedral nacional de Washington, juntou democratas e republicanos, o atual Presidente Donald Trump e os seus antecessores Barack Obama, Bill Clinton e George W. Bush.
A+ / A-

Herói de guerra, um “homem genuinamente otimista” ou o melhor pai que alguém podia ter. Foi assim que o antigo Presidente norte-americano George Bush foi recordado no funeral de Estado realizado esta quarta-feira.

A cerimónia fúnebre, na catedral nacional de Washington, juntou democratas e republicanos, o atual Presidente Donald Trump e os seus antecessores Barack Obama, Bill Clinton, Jimmy Carter e George W. Bush.

No discurso de homenagem ao seu falecido pai, George W. Bush disse que a América perdeu um “homem genuinamente otimista”, que “valorizava o caráter sobre a classe social”.

“Não era nenhum cínico. Ele procurava o lado bom de cada pessoa e, habitualmente, conseguia encontrá-lo”, declarou George W. Bush.

“Foi o melhor pai que um filho podia ter”, afirmou Bush, que se emocionou enquanto proferia as palavras de homenagem ao antigo Presidente, que morreu na última sexta-feira. Tinha 94 anos.

Cavaco Silva representou Portugal no funeral de Estado do patriarca da dinastia Bush.

Do fim da Guerra Fria ao início da Guerra do Golfo, o perfil de George Bush
Do fim da Guerra Fria ao início da Guerra do Golfo, o perfil de George Bush
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.