A+ / A-

Ministra da Justiça diz que momento "não é ideal" para greve dos guardas prisionais

05 dez, 2018 - 17:41

"Estar a prejudicar as visitas, o ritual do Natal, a visita dos filhos prejudica os reclusos", defendeu Francisca Van Dunem no Parlamento.
A+ / A-

A ministra da Justiça considerou esta quarta-feira que, "do ponto de vista humano", esta altura não é a ideal para os guardas prisionais cumprirem períodos de greve, dizendo que os mais prejudicados são os reclusos.

"Do ponto de vista humano não é o período ideal para encetar este tipo de luta. Estou convencida que os guardas prisionais, até pela carreira que escolheram, têm um elevado grau de humanidade", afirmou Francisca Van Dunem no Parlamento, quando questionada pelos jornalistas sobre o motim de terça-feira no Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL).

Considerando que o que se passou no EPL ontem nada tem a ver com o ocorrido hoje na prisão de Custóias, no Porto, a ministra explicou que "são coisas que acontecem mais no sistema prisional do que se pensa" e insistiu que os grandes prejudicados com a greve dos guardas prisionais são os reclusos.

"Sublinho que estar a prejudicar as visitas, o ritual do Natal, a visita dos filhos prejudica os reclusos e esta quadra não é o ideal para que se cumpra esta forma de luta", acrescentou a ministra, garantindo que o ministério continua a conversar com os sindicatos dos guardas prisionais.

O Ministério aguarda uma decisão do colégio arbitral para que os serviços mínimos possam abranger as visitas aos reclusos.

Os guardas prisionais têm previsto cumprir períodos de greve de 6 a 13 e de 14 a 18 de dezembro e até 6 de janeiro.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António dos Santos
    05 dez, 2018 21:03
    Esta ministra já é doutorada nas estupidez e burrice. Vá para casa lavar a roupa.
  • Filipe
    05 dez, 2018 évora 18:26
    Quem faz hoje greve em Portugal numa altura que cada vez mais mais a pobreza e pedidos de ajuda se acentua , ainda que encoberto pelas entidades , com as IPSS na falência ... sectores como a Saúde Pública que serve os pobres , todos aqueles que não frequentam os Privados e noutros ramos , são os relaxados do sistema , aqueles que até já se abastam bem na vida de ordenados e regalias , mas não gostam de trabalho , tem pavor .