A+ / A-

​Retiro para jovens universitários num dos pontos mais frios e mais altos do país

05 dez, 2018 - 17:40 • Liliana Carona

“Parar para pensar” é a proposta da diocese da Guarda aos jovens universitários na época do advento.
A+ / A-
Liliana Carona - retiro jovens universitarios penhas douradas D5
Liliana Carona - retiro jovens universitarios penhas douradas D5

O departamento da pastoral juvenil, universitária e vocacional da diocese da Guarda vai organizar um retiro para jovens universitários nos próximos dias, 14, 15 e 16 de dezembro, a 1.300 metros de altitude, numa das regiões mais frias do país, as Penhas Douradas. As inscrições estão abertas.

Todas as semanas durante duas horas, na Escola Superior de Turismo e Hotelaria do Instituto Politécnico da Guarda, sediada em Seia, o padre Rafael Neves, 33 anos, ouve os estudantes, rotina que cumpre há seis anos. Este ano decidiu promover um retiro para jovens universitários, nas Penhas Douradas.

“O ambiente em que as pessoas sobem e estão mais afastadas e se deixa a azáfama e o rebuliço do dia a dia, parar para pensar para ver melhor, vai ter momentos de encontro de diálogo, oração e celebração”, explica o sacerdote sobre a iniciativa que decorre nas Penhas Douradas, concelho de Manteigas, distrito da Guarda, na Serra da Estrela, a cerca de 1.300 metros de altitude, com vista privilegiada sobre o vale glaciar do rio Zêzere.

Numa das zonas mais frias do país, o objetivo, conta o padre Rafael Neves, responsável da Pastoral juvenil, universitária e vocacional da diocese da Guarda, é quebrar o gelo com a juventude.

“Há muitas coisas que no meio eclesial que não são polos de atração, mas de repulsa para os jovens e o retiro pode ajudar a desmitificar ideias preconcebidas, que a Igreja não aprova isto ou aquilo e pode ajudar a uma aproximação e integração dos jovens”, clarifica.

Beatriz Rosa é da ilha Terceira, nos Açores, está longe de casa e aos 19 anos, a frequentar o 1º ano da licenciatura em restauração e catering, na Escola Superior de Turismo e Hotelaria do Instituto Politécnico da Guarda, está habituada a participar em retiros.

“Gostei, são três dias diferentes, e chorei também, foram momentos emocionantes, andava no 10º ano”, recorda, acrescentando que pondera ir ao retiro das Penhas Douradas. “Nós temos as praxes e aquilo é duro, e acho que três dias sozinha até era bom, dava para descansar e pensar nos objetivos e nos estudos”, conta Beatriz Rosa.

Um retiro para jovens universitários onde apenas se exige levar roupa quente e agasalhos, é que nas Penhas Douradas o isolamento está garantido e o frio também. A orientação do retiro está a cargo do padre Eduardo Caseiro, responsável da pastoral universitária da diocese de Leiria Fátima.

Mais informações disponíveis na página do Facebook da Dpjuv Guarda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.