A+ / A-

Os números e as curiosidades da visita de Xi Jinping a Lisboa

04 dez, 2018 - 09:28

Presidente chinês obriga a medidas apertadas de segurança, algumas, no mínimo, surpreendentes.
A+ / A-

A visita do Presidente chinês Xi Jinping a Lisboa obriga a apertadas medidas de segurança, das mais apertadas de sempre na capital portuguesa. Algumas, confirmadas esta terça-feira pelo jornal "i" são, no mínimo, curiosas. Vale a pena espreitar os "números" desta visita:

  • Vem dois dias a Portugal para assinar cerca de duas dezenas de acordos, sobre assuntos como o sector automóvel e infraestruturas portuárias, os novos interesses chineses.
  • A comitiva e respetivo corpo de segurança foram transportados em dois aviões.
  • Xi Jinping ficará alojado no Hotel Ritz, que fica totalmente por sua conta durante os dois dias. Para tal, desembolsou dois milhões de euros.
  • Para pernoitar, Xi escolheu o 10.º piso do hotel, de onde terá uma vista desafogada da cidade de Lisboa.
  • Esta é a primeira vez que o hotel Ritz acedeu a tal pedido: o antigo presidente norte-americano Bill Clinton tentou o mesmo feito no passado, mas sem sucesso.
  • Apesar de ter o Ritz por sua conta, o presidente chinês não vai provar as iguarias do restaurante do famoso hotel: trouxe o seu próprio cozinheiro, que ficará encarregue das suas refeições.
  • O líder chinês trouxe consigo os seus habituais meios de transporte e apenas se deslocará numa das suas três limusines blindadas.
  • Graças a isto, o portão da saída de emergência do Aeroporto Humberto Delgado teve de ser alargado, obra que foi paga por Xi. Também o portão da garagem do hotel sofreu igual alteração para acomodar os veículos de tamanho pouco habitual.
  • A zona que rodeia o Ritz também está a ser alvo de apertadas medidas de segurança: quem morar por perto terá de mudar os seus hábitos durante uns dias: a circulação está fechada em algumas ruas circundantes e não é permitido o estacionamento. Apenas residentes podem circular, mas só depois de serem revistados. Receber visitas é proibido, a menos que os nomes dos visitantes tenham sido facultados à PSP antes da chegada do presidente chinês.
  • Até ir ao cabeleireiro pode ser uma dor de cabeça, explica o jornal "i". Quem for ao instituto de beleza próximo ao hotel só pode ir sob marcação e terá de ser escoltado pela polícia até ao salão.
  • Curiosidade "extra": a Renascença encontrou no terreno uma cópia de uma edição especial do jornal da comunidade chinesa, a celebrar a visita de Xi Jinping ao país. Veja a primeira página:

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.