A+ / A-

Papa acende a primeira vela de campanha internacional para a paz na Síria

03 dez, 2018 - 14:30

Velas são decoradas por crianças de várias cidades e comunidades cristãs na Síria, que continua a braços com uma guerra civil que já tem quase nove anos.
A+ / A-

O Papa Francisco acendeu, no domingo, a primeira vela de uma campanha internacional que pede a paz para a Síria.

A campanha de Natal para com o povo sírio intitulada “Velas pela Paz na Síria”, foi iniciada pela fundação Ajuda à Igreja que Sofre. Esta campanha, de oração, ajuda e solidariedade, começou no Vaticano, no primeiro domingo do Advento, com o Santo Padre a acender simbolicamente uma dessas velas logo após a oração do Angelus, referindo-se expressamente à iniciativa da Ajuda à Igreja que Sofre.

“O advento é um tempo de esperança. Neste momento”, disse ontem o Papa, “quero fazer minha a esperança de paz das crianças da Síria, país martirizado por uma guerra que dura há oito anos. Portanto, juntando-me à iniciativa de Ajuda à Igreja que Sofre, acenderei agora uma vela, unindo-me a muitas crianças sírias e muitos fiéis em todo o mundo que hoje acendem também as suas velas.”

A vela que o Santo Padre acendeu ontem, e que lhe foi entregue horas antes pela irmã Annie Demerjian, que já esteve em Portugal a convite da Fundação AIS, foi decorada por um artesão do bairro Bab Touma, situado na chamada Cidade Velha de Damasco.

A vela tem inscritas as fotos de algumas crianças, na sua maioria de Alepo, juntamente com o logotipo da campanha, uma pomba com asas estendidas em forma da mão de uma criança com a mensagem “Paz para os Filhos da Síria 2018”, bem como o símbolo internacional da fundação AIS.

Na breve mensagem, antes de acender a vela, o Santo Padre expressou alguns desejos, nomeadamente o fim do conflito armado, a manutenção da presença cristã na Síria e nos outros países do Médio Oriente, onde possam desempenhar um papel essencial na promoção da paz, da misericórdia e da reconciliação.

“Que estas chamas de esperança dissipem as trevas da guerra”, disse o Papa. “Vamos rezar e ajudar os cristãos a permanecer na Síria e no Médio Oriente como testemunhas de misericórdia, perdão e reconciliação. Que a chama da esperança também alcance todos aqueles que sofrem por estes dias conflitos e tensões em várias outras partes do mundo, próximas e distantes. Que a oração da Igreja os ajude a sentir a proximidade do Deus fiel e possa tocar todas as consciências para um compromisso sincero em favor da paz. E que Deus, nosso Senhor, perdoe aqueles que fazem a guerra, aqueles que fabricam armas para se destruírem e converta os seus corações. Rezem pela paz na amada Síria.”

Esta iniciativa, que está a ser promovida a nível internacional pela Ajuda à Igreja que Sofre, já envolveu, e apenas nos últimos dias, mais de 50 mil crianças provenientes de algumas das cidades sírias mais afetadas pela guerra, incluindo Alepo, Damasco, Homs, Marmarita, Hassaké, Tartus e Latakia.

As crianças rezaram e decoraram velas com diversos símbolos – cruzes, pombas e mensagens de esperança – de forma a transmitirem ao mundo o anseio pela paz.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.