A+ / A-

Boca Juniors pede novo adiamento da final da Libertadores

25 nov, 2018 - 16:20

Equipa foi ontem atacada à entrada do estádio do River Plate e alguns jogadores tiveram de ser assistidos no hospital.
A+ / A-

O Boca Juniors pede novo adiamento da final da Taça Libertadores e exige “igualdade de condições”.

O clube emitiu um comunicado em que solicitou à Conmebol a suspensão do jogo, que foi remarcado para este domingo (20 horas, em Lisboa) após a equipa ter sido atingida à chegada ao estádio.

Vários jogadores do Boca ficaram feridos, por serem sido atingidos por vidros ou devido ao uso de gás lacrimogéneo por parte da polícia, com o 'capitão' Pablo Pérez a ter de ser assistido no hospital, antes de regressar ao estádio, com uma pala a proteger o olho esquerdo.

Comunicado:

O Club Atlético Boca Juniors apresentou, neste domingo, uma solicitação formal à Conmebol para que a final da Taça Libertadores se possa disputar em condições de igualdade, tal como ficou acordado entre os presidentes da entidade sul-americana, do Boca e do River, no documento assinado no sábado, no Estádio Monumental.

Na tarde de sábado o Boca Juniors solicitou o adiamento do jogo, na sequência dos incidentes, e ficou estabelecido como prioridade que o mesmo fosse disputado em igualdade de condições. Tendo em conta os atos de violência registados nas imediações do estádio e depois de ter verificado a magnitude e gravidade dos mesmos, assim como as consequências no plantel, o Boca considera que essas condições não estão reunidas, pelo que solicita a suspensão do encontro, assim como a aplicação das sanções previstas no Artigo 18º, para que a Conmebol atue em conformidade.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.