A+ / A-

Borba. Infraestruturas de Portugal diz que estrada que ruiu é gerida por municípios

19 nov, 2018 - 20:08

Autarquias de Borba e de Vila Viçosa é que têm a responsabilidade direta pela manutenção e conservação desta via rodoviária.

A+ / A-

Veja também


A Infraestruturas de Portugal esclarece que a estrada onde ocorreu um aluimento de terras em Borba foi transferida em 2005 para "a jurisdição dos municípios" de Borba e de Vila Viçosa, pelo que "já não é uma estrada nacional".

Sem saber qual a atual designação da estrada, fonte da Infraestruturas de Portugal garantiu à agência Lusa que a antiga Estrada Nacional (EN) 255 é, desde 2005, "gerida pelos municípios de Borba e de Vila Viçosa".

Assim, são estes municípios que têm a responsabilidade direta pela manutenção e conservação desta via rodoviária.

Questionada se há registo de problemas nesta estrada até 2005, a empresa Infraestruturas de Portugal não adiantou para já essa informação.

Uma retroescavadora e dois automóveis foram hoje arrastados para o interior de uma pedreira, na zona de Borba, no distrito de Évora, devido a um aluimento de terras, desconhecendo-se o número de vítimas, indicou fonte do INEM.

A fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) adiantou à agência Lusa que o alerta foi dado às 1545 e que as equipas de socorro não conseguiram, até cerca das 17h30, ter acesso às vítimas, cujo número é ainda desconhecido.

A mesma fonte assinalou que a retroescavadora seria de uma empresa que opera numa das pedreiras da zona, enquanto os automóveis seriam de particulares e ficaram submersos.

O INEM acrescentou que já acionou um helicóptero, uma viatura médica de emergência e reanimação (VMER), uma ambulância de suporte imediato de vida (SIV) e diversas ambulâncias de várias corporações de bombeiros, além de uma equipa de psicólogos.

Anteriormente, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora avançou à Lusa haver a suspeita que quatro a cinco pessoas poderão ter ficado submersas na pedreira.

"Há a suspeita de quatro a cinco vítimas que estarão submersas no interior da pedreira", afirmou.

As operações de socorro mobilizavam, pelas 18h00, 48 operacionais e 18 veículos das autoridades, além de um helicóptero do INEM.

Na sequência do aluimento de terras, um troço daquela estrada abateu para dentro de duas pedreiras, que ficam contíguas à via, uma ativada e outra desativada, segundo fontes locais contactadas pela Lusa.

Um percurso de cerca de cinco quilómetros desta estrada está ladeado de pedreiras de mármores.

Na sequência da derrocada, a via está cortada ao trânsito.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.