A+ / A-

Marcelo “falou muito de Portugal” no jantar oferecido por Macron

11 nov, 2018 - 00:22

"E falou-se muito bem e muito do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres", acrescentou.
A+ / A-

O Presidente da República diz que se falou "muito de Portugal" no jantar oferecido pelo Presidente francês, Emmanuel Macron, aos dirigentes mundiais que participam nas celebrações do centenário do Armistício.

“Falou-se muito de Portugal, falou-se muito de Portugal na Europa e em África e até na ligação à América Latina", disse Marcelo aos jornalistas portugueses após o jantar.

"E falou-se muito bem e muito do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres", acrescentou.

Segundo o Presidente, o clima no jantar, realizado no Museu do Quay d'Orsay, foi de "celebrar a paz e não a guerra" e pautou-se por "uma distensão" que "não faria imaginar, entre aqueles que ali estão, muitas das posições duras que de vez em quando têm, no dia a dia".

"Hoje não havia isso e espero que amanhã também não haja", afirmou, referindo-se às cerimónias que vão assinalar os 100 anos do fim da I Guerra Mundial e ao Fórum da Paz.

Entre os presentes no jantar estava o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que já anunciou que não participa no Fórum, com quem o Presidente português disse ter tido "oportunidade de trocar algumas palavras".

Marcelo escusou-se a dizer sobre o que falaram, referindo apenas que "o clima foi tão bom como tinha sido em Washington", quando visitou a Casa Branca e se reuniu com Trump, no final de junho.

Questionado sobre se convidou Trump a visitar Portugal, o Presidente disse apenas: "Vamos ver, havemos de falar disso um dia".

Marcelo Rebelo de Sousa está em Paris para participar nas comemorações do centenário do Armistício.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • F. Almeida
    11 nov, 2018 Porto 02:04
    " Quem muito fala pouco acerta..."