A+ / A-

Marcelo pede aos jovens para “evitar a clivagem” e diz que a visão do serviço “é fundamental”

10 nov, 2018 - 19:26

Chefe de Estado enviou mensagem aos participantes no “3 Milhões de Nós”.
A+ / A-

O Presidente da República afirmou numa mensagem dirigida aos participantes no encontro “3 Milhões de Nós” que os jovens têm de “evitar a clivagem” num país cada vez com mais idosos.

“Não há só jovens na sociedade portuguesa, mas cada vez mais idosos, menos jovens e há que evitar a clivagem, a separação de idades entre dois “portugais” no ponto de vista de acesso ao mundo, contacto com a realidade e perceção do que se passa cá dentro e lá fora”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Numa mensagem vídeo apresentada no encontro, que decorre na Aula Magna, em Lisboa, o presidente da República sublinhou a necessidade de promover a “esperança para viver” entre todas as gerações”, não apenas “para ir durando”.

O Presidente da República pediu aos jovens para evitar “as clivagens territoriais, sociais” e “fazer criar todos os dias mais solidariedade, mais coesão”.

“É o vosso papel. É o papel de um cristão e é o papel de um português”, declarou.

“Numa posição ecuménica, tenho a certeza que saberão ser fiéis às raízes cristãs, à pertença deste Portugal que é de todo nós e sobretudo, quando virados para o futuro, sempre preocupados com o serviço do outro, do próximo: o próximo ‘próximo’ e o próximo distante”, acrescentou.

Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que a visão de serviço “é fundamental”, a efetivar “termos concretos”.

“A pessoa humana é cada pessoa de carne e osso, que contactamos todos os dias, de manhã à noite. Estamos ao serviço dessas pessoas, não estamos ao serviço de nós”, afirmou.

Não podendo estar presente, o presidente da República enviou a mensagem para o encontro e referiu que acompanha os jovens “na família, no meio escolar, no trabalho, na comunidade, na construção do futuro”.

“Nesse papel nunca se esqueçam dos imperativos morais espirituais e religiosos, que passam todos pela dignidade da pessoa humana”, sublinhou.

O encontro “3 Milhões de Nós” decorreu durante este sábado, dia 10 de novembro, na Aula Magna em Lisboa, com o objetivo de ser um fórum de diálogo e discussão entre os jovens, os pais, professores educadores e todos os que “lidam com os jovens”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Salomé
    11 nov, 2018 lisboa 10:01
    Esta dicotomia entre praticas marxistas radicais do governo e cultura judaico cristâ está a criar clivagens que fara estourar o regime.Como se pode pedir comportamento cristão num pais que constantemente é agredido pelos radicais de esquerda.Entre outros a eutanásia-assassinato seletivo dos mais vulneráveis velhos e novos outro é a subida do imposto sobre as touradas.A culpa disto SNR é do regime fechado que nos foi imposto pelo golpe 25 ABRIL q na vez de exigirem numa democracia aberta permitiram uma democratura com uma ditadura fiscal cada vez mais agressiva ,perda liberdade individual e ocupação/não direito pleno á propriedade privada q cada vez mais impostos pagam-forma saloia de saquear e entregar os ativos aos comunistas da china e outros estados ,ficando o povo enquanto existir reduzido á escravatura ou extinção.A fratura geracional existe e será tanto maior qto a tecnologia avança q é não é acompanhada nem apercebida pela maioria dos mais velhos e muits dos mais novos, é um desafio permanente e não vai´ganhar-se com marxistas.O fluxo dominante esquerdoide está a asfixiar o País.