A+ / A-

Sport TV abandona a Nowo, a operadora da Champions

09 nov, 2018 - 15:38

O canal acusa a Nowo de não pagar desde julho. A operadora acusa o canal de pedir contrato mais caro em cima do limite. No meio da refrega está a Eleven Sports, concorrente da Sport TV, exclusivo da Nowo e o canal que tem as chaves para a Liga dos Campeões nos próximos três anos.
A+ / A-

A Sport TV anunciou, esta sexta-feira, que vai sair da grelha da Nowo. O canal e a operadora têm andado num “bate boca”, com o canal desportivo a acusar a Nowo de acumular dívidas e a operadora a apontar o dedo à Sport TV, dizendo que exigiu uma atualização do contrato com aumento significativo de custo.

A Nowo respondeu em comunicado à decisão “sem precedentes no mercado português por parte da Sport TV, prejudicando milhares de clientes Nowo e Sport TV de norte a sul do país”. A operadora diz que recusou “novas condições impostas” pelo canal desportivo premium, que classificou de “desleais, desadequadas e desajustadas face à realidade do mercado”

Segundo aponta a Nowo, a Sport TV pretendia um novo contrato 15% mais caro do que o que está em vigor e apresentou as condições no último dia do contrato.

A Sport TV, por seu lado, defendeu-se dizendo que o acordo já tinha terminado em julho e só saiu da Nowo agora por respeito aos clientes. Ao Observador, o canal disse que a saída deveu-se à “elevada dívida vencida que a Nowo tinha já nessa data e que continua por liquidar”.

As críticas sobem de tom por parte do canal, que diz que a Nowo “continuou a cobrar aos seus clientes os serviços da Sport TV”, apesar de, alegadamente, ter deixado de pagar em julho pelos direitos do canal. E também afirma que a dívida não foi saldada.

Na guerra de palavras, só um fica com os campeões

Entretanto, no centro da batalha está o mais recente concorrente da Sport TV, a Eleven Sports. O canal inglês entrou este ano a pés juntos no mercado português, comprando os direitos para as duas competições europeias, a Liga dos Campeões e a Liga Europa, além das ligas espanhola, alemã, francesa e belga.

A 30 de maio deste ano, o acordo entre a Nowo e a Eleven Sports foi anunciado. Antes, em maio, a Eleven Sports tinha comprado os direitos para a ‘Champions’ durante os próximos três anos.

A grande preocupação dos portugueses tem sido ver a Liga dos Campeões. Semana sim, semana não, benfiquistas e portistas têm-se revezado para tentar ver o jogo no canal, já que em cada semana, um clube joga na TVI, que transmite o encontro em sinal aberto, e o outro no tal canal.

A parceria com a TVI foi anunciada em agosto. Um jogo por semana é transmitido em sinal aberto, durante a fase de grupos. A TVI transmitiu também a Supertaça Europeia e vai transmitir a final, em maio.

Se Porto e Benfica passarem aos oitavos-de-final, só através da Eleven Sports é que se consegue ver (legalmente) os jogos.

A Eleven Sports é o grande trunfo da Nowo. O canal concorre diretamente com a Sport TV e, para já, está em negociações para estar disponível na NOS, Vodafone e MEO.

Em agosto, o canal garantiu também os direitos do campeonato do mundo de Fórmula 1, que vai transmitir entre 2019 e 2021.

Eleven Sports: um dilema legal

Para poder ver todas as ligas de futebol que a Eleven Sports tem, assim como a NFL (liga de futebol americano) e a Liga Endesa (liga de basquetebol espanhola), tem de subscrever ao canal diretamente ou, se já for aderente da Nowo, através da operadora, mediante um contrato.

Subscrever à Eleven Sports tem um preço fixo de 9,99 euros; na Nowo, a Eleven Sports também custa 9,99 euros por mês, além do pacote base que custa 22,99 euros.

Pode utilizar a aplicação da Eleven Sports para ver os jogos, seja em iOS ou Android.

Em setembro, o canal britânico anunciou que transmitiria também através da Chromecast, um dispositivo da Google que permite aos consumidores ver os conteúdos que vêem no computador diretamente na sua televisão.

Legalmente, esta é a única forma de ver os jogos das ligas que a Eleven Sports transmite.

Com a existência dos canais premium, a proliferação de streams (disponibilização de conteúdos de vídeo através da internet) ilegais tem sido a forma de muitos contornarem o problema. No caso dos adeptos benfiquistas e portistas, a obrigatoriedade de pagar quase dez euros para ver apenas quase dois jogos por mês leva muitos consumidores, e mesmo estabelecimentos, a usar os streams ilegais.

A simples visualização destes streams é ilegal. Especialmente quando um café, por exemplo, faz uma ligação entre um computador e uma televisão para transmitir ilegalmente o jogo. Muitos cafés têm Sport TV e não querem mudar de operadora para usar a Eleven Sports – portanto basta ligar um portátil à televisão através de um cabo HDMI e arranjar um stream para os clientes não irem para casa ver o jogo da mesma forma.

A visualização destes streams, ou a criação de um, pode resultar numa pena de prisão até três anos, segundo o Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos.

No entanto, o rastreio desta atividade é difícil, devido à inúmera quantidade de streams e hiperligações que existem. Muitas das vezes, os criadores dos streams encontram-se no estrangeiro, usam nomes falsos e se forem apanhados, podem fechar a “loja” em poucos minutos.

Assim, os streams são mais fáceis de usar – com uma ligação à internet, facilmente chegamos a um – e mais difíceis de controlar. Vêm com qualidade, diferentes línguas e e só é preciso desviar alguns anúncios para se ver um jogo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.