A+ / A-

Estado Islâmico reivindica ataque em Melbourne

09 nov, 2018 - 12:03

O site de notícias do Estado Islâmico afirma que o homem que esfaqueou três pessoas era membro do grupo terrorista.
A+ / A-

O autoproclamado Estado Islâmico (EI) reivindica o ataque desta sexta-feira, em Melbourne, na Austrália. O site de notícias do EI diz, sem apresentar nenhuma evidência, que o homem que esfaqueou três pessoas pertencia ao grupo terrorista.

“Ele executou a operação em resposta ao apelo para atacar cidadãos da coligação”, lê-se no site, numa referência ao apelo feito pelo líder do grupo, Abu Bakr al-Baghdadi, em agosto, para que os membros do EI usassem bombas, facas ou carros para atacar os países que fazem parte da coligação liderada pelos Estados Unidos e que tenta combater os progressos do grupo terrorista, especialmente na Síria e no Iraque.

O homem conduzia um carro com cilindros de gás que fez explodir numa das ruas mais movimentadas da baixa de Melbourne. Depois, com uma faca na mão, atacou várias pessoas. Uma delas acabou por morrer no local. Outras duas ficaram feridas.

O atacante foi neutralizado pela polícia e transportado para o hospital, onde acabou por morrer. De acordo com as autoridades australianas, o homem era da Somália com “associações familiares bem conhecidas” pela polícia.

A segurança dos eventos públicos em Melbourne, este fim de semana, foi reforçada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    10 nov, 2018 Lisboa 11:34
    Se as pessoas pudessem andar armadas, este tipo não esfaqueava ninguém: era logo abatido quando puxasse da faca a cantarolar o habitual "Deus é Grande" em árabe. Como só os criminosos "podem" andar armados ...
  • Anónimo
    09 nov, 2018 16:51
    Entretanto Trump ajoelha-se perante o reino jihadista da Arábia Saudita...