A+ / A-
FC Porto

Pinto da Costa foi ouvido no DCIAP sobre o "caso dos e-mails"

09 nov, 2018 - 10:55

MP investiga condições em que correspondência eletrónica, alegadamente incriminatória, do Benfica chegou às mãos do diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques.
A+ / A-

Pinto da Costa, presidente do FC Porto, foi ouvido, esta sexta-feira, nas instalações do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) de Lisboa, no âmbito do "caso dos e-mails". O máximo dirigente portista não prestou declarações aos jornalistas à chegada, por volta das 10h30, e deixou o DCIAP cerca de 45 minutos depois, também sem falar.

Pinto da Costa e os administradores da SAD, Adelino Caldeira, Fernando Gomes e Reinaldo Teles, foram notificados pelo Ministério Público (MP) para prestarem declarações sobre o processo. Este refere-se à revelação de correspondência eletrónica, alegadamente incriminatória, do Benfica pelo diretor de comunicação dos portistas, Francisco J. Marques, no Porto Canal. Marques é arguido no processo, depois de queixa do Benfica, que alega ter sido vítima de um crime de pirataria informática.

Segundo a imprensa, os investigadores do MP procuram descortinar as circunstâncias em que o a correspondência interna do Benfica chegou ao FC Porto. Tal correspondência deu origem ao processo "e-toupeira".

[notícia atualizada às 11h47]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.