A+ / A-

EUA alargam sanções a russos

09 nov, 2018 - 00:52

Em causa, ainda, a anexação da Crimeia de 2014.
A+ / A-

Os Estados Unidos anunciaram novas sanções dirigidas a três personalidades e nove entidades, em ligação com a anexação da Crimeia pela Federação Russa e violações dos direitos do homem nas regiões ucranianas controladas pelos russos.

Entre os alvos das novas medidas punitivas norte-americanas está um antigo comandante de artilharia russa, Vladimir Zaritski, fundador de uma empresa que opera na Crimeia, e um agente dos serviços de informações russo (FSB), Andrei Souchko, "suspeito do rapto extrajudicial, em 2017, de um militante tártaro que se opunha à ocupação russa e de ter participado em violências sobre este", declarou o Departamento do Tesouro norte-americano, em comunicado.

A terceira pessoa visada é um vice-ministro da Segurança da autoproclamada República de Lougansk, Alexandre Bassov, também acusado de "violações graves dos direitos do homem num território ocupado pela força pelo governo russo".

A Rússia anexou a Crimeia em março de 2014.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.