A+ / A-

Santana Lopes. Se algum deputado tivesse declarado uma falsa presença "seria gravíssimo"

08 nov, 2018 - 21:59

Pedro Santana Lopes comentou caso da atualidade em Belém.
A+ / A-

O presidente do partido Aliança, Pedro Santana Lopes, considera que se algum deputado tivesse declarado uma falsa presença "isso seria gravíssimo", ressalvando não estar a comentar o caso concreto de José Silvano.

O antigo primeiro-ministro foi questionado sobre o caso do secretário-geral do PSD, José Silvano, no final de uma audiência concedida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ao partido Aliança, no Palácio de Belém, em Lisboa, em Lisboa.

Santana Lopes começou por dizer que não queria falar do caso concreto do deputado do seu ex-partido, mas que "a Aliança censura qualquer forma de comportamento indevido, nomeadamente ao nível do Estado, que se traduza na violação dos deveres de honestidade, de seriedade".

Depois, mencionou que "o próprio senhor deputado nega que tenha feito algo de indevido, que alguém terá feito por ele", e observou: "Não sei, caberá às entidades competentes [averiguar] mais uma vez, coitadas, não param, têm muito trabalho. Estarão a investigar".

Reiterando que não queria falar do caso concreto de José Silvano, o antigo presidente do PSD acrescentou: "A mim não me passa pela cabeça - já exerci muitas funções públicas, privadas - que alguém seja remunerado ou diga que esteve presente num sítio onde não esteve. Ainda mais quando está a representar, que é algo de sagrado, os seus concidadãos".

"Portanto, se isso fosse verdade, seria gravíssimo. Não sei se é, nem se não", considerou Santana Lopes. "Não me quero referir ao caso concreto, estou a referir a posição de princípio", ressalvou, logo de seguida.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Augusto Saraiva
    09 nov, 2018 Genève 09:43
    Não estarão a empolgar este caso para encobrirem um bem mais grave? O das falsas moradas para receberem subsidio de deslocação e ajudas de custo... Ao que chegou a miséria e a falta de vergonha!
  • João Lopes
    09 nov, 2018 Viseu 09:29
    Rui Rio e a sua “equipa” pouco competente, estão a prejudicar o PSD e o País. «Rui Rio faz lembrar Marinho Pinto numa versão mais elaborada. Anda por aí sem perceber muito bem o que está a fazer – e o que se pediria a um presidente do PSD. E talvez nunca venha a perceber»: JASaraiva no Sol de 24-09-2018.